Raúl Jiménez dá primeira vitória em casa aos Wolves de Nuno

Um golo do internacional mexicano cedido pelo Benfica valeu a primeira vitória caseira na Premier League para a equipa de Nuno Espírito Santo

Diante do Burnley, o avançado dos Wolves desbloqueou o marcador, num jogo em que a equipa da casa dominou e teve os portugueses Rui Patrício, Rúben Neves, João Moutinho, Diogo Jota e Hélder Costa a titulares.

O treinador, também português, Nuno Espírito Santo teve ainda Rúben Vinagre no banco, enquanto Ivan Cavaleiro ficou de fora, por lesão.

Foi a primeira vitória do Wolverhampton para a Liga no Molineux Stadium, um resultado que deixa a equipa provisoriamente no nono lugar, com oito pontos.

Nos anteriores jogos em casa, o Wolverhampton tinha empatado com o Everton (2-2), de Marco Silva, e com o Manchester City (1-1), nos únicos pontos perdidos até agora pelo campeão inglês, em cinco jornadas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

O populismo entre nós

O sucesso eleitoral de movimentos e líderes populistas conservadores um pouco por todo o mundo (EUA, Brasil, Filipinas, Turquia, Itália, França, Alemanha, etc.) suscita apreensão nos países que ainda não foram contagiados pelo vírus. Em Portugal vários grupúsculos e pequenos líderes tentam aproveitar o ar dos tempos, aspirando a tornar-se os Trumps, Bolsonaros ou Salvinis lusitanos. Até prova em contrário, estas imitações de baixa qualidade parecem condenadas ao fracasso. Isso não significa, porém, que o país esteja livre de populismos da mesma espécie. Os riscos, porém, vêm de outras paragens, a mais óbvia das quais já é antiga, mas perdura por boas e más razões - o populismo territorial.