"Queríamos vencer, mas aceitamos o empate"

José Peseiro realçou a diferença de rodagem e de estabilidade entre Benfica e Sporting neste início de época

Para o treinador leonino, o dérbi que terminou empatado (1-1) na Luz "foi um jogo muito difícil, contra uma equipa muito forte, que fez o sexto jogo oficial, enquanto nós fizemos o terceiro", sublinhou.

O técnico referiu-se ainda às diferentes circunstâncias em que ambas as equipas começaram a temporada. "O adversário começou a época com estabilidade e a grande maioria dos jogadores. Isso de certa forma dá uma ideia do que encontrámos, além da força que o Benfica tem aqui e da qualidade dos jogadores. Há que assumir essa diferença."

Por isso, Peseiro aceita o empate como bom resultado e deu os parabéns aos jogadores: "Acho que até os 15 minutos da 2.ª parte tivemos o jogo equilbrado, com oportunidades de um lado e outro. Depois o Benfica foi mais forte, empurrou-nos para trás, criou-nos muitas dificuldades e situações de golo. E acabou por chegar ao empate. Mas deixo os parabéns aos meus jogadores, pela forma abnegada, a atitude e a coragem que tivemos. Alguns jogadores ainda não têm condições, nem aguentam, jogar 90 minutos com esta intensidade. Queríamos vencer, mas aceitamos o empate"."

O treinador do Sporting assume a luta pelo título com Benfica e FC Porto: "Nós estamos aqui para lutar. Quem está no Sporting não pode pensar outra coisa que não seja conquistar as competições em Portuga.l.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.