PSP saúda clima de paz entre Benfica e Sporting antes do dérbi

Jogo realiza-se este sábado a partir das 19 horas no Estádio da Luz, mas as portas abrem duas horas antes

O jogo da terceira jornada da I Liga de futebol, que levará até 3.250 adeptos do Sporting ao Estádio da Luz para o dérbi com o Benfica, foi considerado esta sexta-feira de risco elevado pelas autoridades.

Carlos Cachudo, comissário da Polícia de Segurança Pública (PSP) e responsável pelo policiamento do dérbi, afirmou que as autoridades se preparam sempre para o "cenário mais exigente", mas confirmou que a operação se torna mais fácil se na semana que antecede o jogo o ambiente for positivo.

"Considero positivo que o ambiente seja salutar, não só neste como em qualquer evento", disse o comissário, que na habitual conferência de imprensa que antecede os dérbis na cidade de Lisboa, explicou como decorrerá o policiamento do jogo, em que são esperados mais de 60.000 adeptos.

"É um jogo de risco elevado e, como habitualmente acontece nestes jogos, é um evento que terá algum nível de dificuldade no que diz respeito ao nosso trabalho", afirmou o comissário Carlos Cachudo, que adiantou que o policiamento procurará "minimizar os constrangimentos na envolvente do estádio" e avisou para as restrições que ao longo de todo o dia se vão sentir no trânsito.

Quanto à deslocação dos adeptos do Sporting, Carlos Cachudo revelou que o trajeto entre o Estádio José Alvalade e o Estádio da Luz será "semelhante ao usualmente percorrido" e que à chegada ao recinto dos 'encarnados', os 3.250 adeptos 'verde e brancos' serão encaminhados por uma única entrada até à caixa de segurança, já no interior.

Para o primeiro dérbi deste campeonato foi destacado um dispositivo policial em que se incluem diversas valências da PSP, como Divisão de Trânsito ou a Unidade Especial de Polícia, e Carlos Cachudo relembrou os habituais conselhos para os adeptos.

"Devem deslocar-se para o estádio preferencialmente de transportes públicos e cedo, de modo a facilitar o processo de entradas. Recordo também que não devem levar objetos proibidos ou malas muito grandes, e que os adeptos alcoolizados não vão poder entrar", indicou.

As portas do Estádio da Luz abrem às 17:00 e o jogo tem início às 19:00.

Benfica e Sporting venceram os seus encontros nas primeiras jornadas e estão no topo da classificação, com seis pontos, juntamente com o FC Porto, campeão em título, e o Feirense.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

Conhecem a última anedota do Brexit?

Quando uma anedota é uma anedota merece ser tratada como piada. E se a tal anedota ocupa um importante cargo histórico não pode ser levada a sério lá porque anda com sapatos de tigresa. Então, se a sua morada oficial é em Downing Street, o nome da rua - "Downing", que traduzido diz "cai, desaba, vai para o galheiro..." - vale como atual e certeira análise política. Tal endereço, tal país. Também o número da porta de Downing Street, o "10", serve hoje para fazer interpretações políticas. Se o algarismo 1 é pela função, mora lá a primeira-ministra, o algarismo 0 qualifica a atual inquilina. Para ser mais exato: apesar de ela ser conservadora, trata-se de um zero à esquerda. Resumindo, o que dizer de uma poderosa governante que se expõe ao desprezo quotidiano do carteiro?

Premium

Adolfo Mesquita Nunes

A escolha de uma liberdade

A projeção pública da nossa atividade, sobretudo quando, como é o caso da política profissional, essa atividade é, ela própria, pública e publicamente financiada, envolve uma certa perda de liberdade com que nunca me senti confortável. Não se trata apenas da exposição, que o tempo mediático, por ser mais veloz do que o tempo real das horas e dos dias, alargou para além da justíssima sindicância. E a velocidade desse tempo, que chega a substituir o tempo real porque respondemos e reagimos ao que se diz que é, e não ao que é, não vai abrandar, como também se não vai atenuar a inversão do ónus da prova em que a política vive.

Premium

Marisa Matias

Penalizações antecipadas

Um estudo da OCDE publicado nesta semana mostra que Portugal é dos países que mais penalizam quem se reforma antecipadamente e menos beneficia quem trabalha mais anos do que deve. A atual idade de reforma é de 66 anos e cinco meses. Se se sair do mercado de trabalho antes do previsto, o corte é de 36% se for um ano e de 45%, se forem três anos. Ou seja, em três anos é possível perder quase metade do rendimento para o qual se trabalhou uma vida. As penalizações são injustas para quem passou, literalmente, a vida toda a trabalhar e não tem como vislumbrar a possibilidade de deixar de fazê-lo.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

O planeta dos sustentáveis 

Ao ambiente e ao planeta já não basta a simples manifestação da amizade e da esperança. Devemos-lhes a prática do respeito. Esta é, basicamente, a mensagem da jovem e global ativista Greta Thunberg. É uma mensagem positiva e inesperada. Positiva, porque em matéria de respeito pelo ambiente, demonstra que já chegámos à consciencialização urgente de que a ação já está atrasada em relação à emergência de catástrofes como a de Moçambique. Inesperada (ao ponto do embaraço para todos), pela constatação de que foi a nossa juventude, de facto e pela onda da sua ação, a globalizar a oportunidade para operacionalizar a esperança.