Primeira goleada da época para quebrar o jejum de Mourinho

O Manchester United venceu o Fulham por 4-1 e colocou ponto final a uma série de quatro jogos sem ganhar na Premier League

Finalmente José Mourinho pode sorrir. É que o seu Manchester United conquistou este sábado a primeira goleada da temporada na Premier League em partida da 16.ª jornada. A vítima foi o Fulham de Claudio Ranieri, que não conseguiu resistir aos red devils, que em Old Trafford venceram por 4-1 e colocaram ponto final a uma série de quatro jogos sem vencer no campeonato.

Este foi o 50.º triunfo de Mourinho em 92 jogos do campeonato no comando do United, numa partida em que deixou o francês Paul Pogba a ver do banco de suplentes... o que é mais um sinal das quezílias entre ambos ao longo desta época.

Com Diogo Dalot a titular, o Manchester United acabou por chegar cedo à vantagem com um golo de Ashley Young. Ainda antes do intervalo, Juan Mata (28') e Romelu Lukaku (42') deram ainda maior tranquilidade aos red devils, que dominaram a partida por completo. O avançado belga como que acabou com uma maldição que durou 997 minutos sem marcar qualquer golo em Old Trafford.

Na segunda parte, a equipa de Mourinho controlou por completo a partida, embora o Fulham tenha reduzido aos 67 minutos através de um penálti convertido pelo senegalês Kamara. Contudo, Marcus Rashford ainda apareceu já perto do final a assinar o quarto golo dos red devils, culminando da melhor forma uma excelente exibição, pois além do golo, o extremo fez ainda duas assistências.

No final da partida, Mourinho aproveitou mais uma vez para elogiar Diogo Dalot, que fez o terceiro jogo na Premier League. "Só lamento que ele tenha cá chegado após uma operação e por isso só agora começou a jogar. O Diogo tem 19 anos, é bom não esquecer, e só fez cinco jogos na Liga portuguesa antes de chegar ao United. Tem um grande potencial, talvez possa seguir os passos de Gary Neville, que durante mais de dez anos foi o defesa-direito da equipa", afirmou o treinador português.

Este resultado permite ao Manchester United subir ao sexto lugar, a cinco pontos do Arsenal, que sofreu muito para, em casa, levar de vencido o Huddersfield Town por 1-0, valendo o golo do uruguaio Lucas Torreira para que os gunners se mantivessem dentro da zona europeia da Premier League.

Jogos da 16.ª jornada:

Bournemouth-Liverpool, 0-4
Cardiff-Southampton, 1-0
Manchester United-Fulham, 4-1
West Ham-Crystal Palace, 3-2
Burnley-Brighton, 1-0
Arsenal-Huddersfield Town, 1-0
Chelsea-Manchester City, 2-0
Leicester-Tottenham, às 19.30 horas

Este domingo
Newcastle-Wolverhampton

Esta segunda-feira
Everton-Watford

Confira a classificação da Premier League

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Falem do futuro

O euro, o Erasmus, a paz. De cada vez que alguém quer defender a importância da Europa, aparece esta trilogia. Poder atravessar a fronteira sem trocar de moeda, ter a oportunidade de passar seis meses a estudar no estrangeiro (há muito que já não é só na União Europeia) e - para os que ainda se lembram de que houve guerras - a memória de que vivemos o mais longo período sem conflitos no continente europeu. Normalmente dizem isto e esperam que seja suficiente para que a plateia reconheça a maravilha da construção europeia e, caso não esteja já convertida, se renda ao projeto europeu. Se estes argumentos não chegam, conforme o país, invocam os fundos europeus e as autoestradas, a expansão do mercado interno ou a democracia. E pronto, já está.