Portugal cai três lugares no ranking FIFA

Seleção nacional ocupa agora o 7.º lugar da hierarquia, já liderada pela campeã mundial França

Portugal desceu três lugares no ranking FIFA, pode constatar-se na página do site do organismo, que esta quinta-feira atualizou a hierarquia, que estreia a nova fórmula do cálculo de pontos. A seleção nacional caiu da 4.ª para a 7.ª posição depois da presença no Mundial 2018, em que foi afastada nos oitavos de final pelo Uruguai.

O novo líder é agora a campeã mundial França, que antes ocupava precisamente o 7.º lugar. Em relação ao Top20, realce para a subida da vice-campeã mundial Croácia, que subiu 16 lugares e agora é 4.ª; e para a queda da Alemanha, que saltou da liderança para a 15.ª posição.

A Bélgica, terceira classificada no Mundial 2018, cuja fase final se disputou na Rússia, ascendeu do terceiro ao segundo posto, por troca direta com o Brasil, eliminado pela seleção belga nos quartos de final do torneio.

O Uruguai, que, depois de ter eliminado Portugal, foi afastado pela França nos quartos, capitalizou o bom desempenho no campeonato do mundo, subindo de 14.º para quinto, seguido da Inglaterra, quarta posicionada na Rússia, a qual pulou do 12.º para a sexta posição.

A Dinamarca, que ocupava o 12.º lugar no ranking anterior, foi uma das quatro entradas no 'top 10', em conjunto com Croácia, Uruguai e Inglaterra, passando a ocupar o nono posto, em igualdade com a Espanha, ambas atrás da Suíça, a qual desceu de sexta para oitava.

O Irão, treinado por Carlos Queiroz, ascendeu cinco lugares, para o atual 32.º, depois de ter terminado em terceiro lugar no grupo de Portugal do Mundial 2018, tendo mantido expectativas de apuramento até à última jornada, na qual empatou 1-1 com a equipa das quinas.

O Burkina Faso, treinado pelo português Paulo Duarte, manteve-se na 52.ª posição, enquanto Cabo Verde continua como o segundo melhor dos países de expressão portuguesa, depois do Brasil, tendo subido um lugar, para 64.º.

Ranking FIFA (16 agosto 2018)

1. França (1726 pontos)

2. Bélgica (1723)

3. Brasil (1657)

4. Croácia (1643)

5. Uruguai (1627)

6. Inglaterra (1615)

7. Portugal (1599)

8. Suíça (1597)

9. Espanha (1580)

9. Dinamarca (1580)

11. Argentina (1574)

12. Chile (1570)

13. Suécia (1565)

14. Colômbia (1563)

15. Alemanha (1561)

(...)

64. Cabo Verde (1356)

114. Moçambique (1176)

121. Guiné-Bissau (1148)

137. Angola (1096)

185. Macau (924)

186. São Tomé e Príncipe (920)

190. Timor-Leste (912)

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.