Portimonense tenta Jackson Martínez

O Jogo escreve esta quinta-feira que a SAD dos algarvios está a tentar contratar o avançado colombiano, que representou o FC Porto entre 2012 e 2015

A concretizar-se, seria certamente uma das movimentações mais sonantes da janela deste verão do mercado de transferências em Portugal. Segundo O Jogo, a SAD do Portimonense está a tentar contratar Jackson Martínez, ponta de lança colombiano que brilhou ao serviço do FC Porto e que atualmente é jogador livre.

O antigo avançado dos dragões, 31 anos, não joga desde que sofreu uma grave lesão no tornozelo direito, em outubro de 2016, numa altura em que estava ao serviço dos chineses do Guangzhou Evergrande. E, curiosamente, no início desta semana o líder da SAD dos algarvios, Theodoro Fonseca, deslocou-se à China para tratar de negócios.

Jackson Martínez esteve três temporadas no FC Porto, 2012/13, 2013/14 e 2014/15, e em todas foi o melhor marcador da I Liga. No total, o colombiano apontou 92 golos em 136 partidas de dragão ao peito.

Seguiu-se uma passagem menos feliz e curta pelo Atlético Madrid, clube pelo qual marcou três golos em 22 jogos, e a transferência para a China.

Recentemente, Jackson foi apontado ao Sporting, mas a SAD leonina rapidamente desmentiu esse rumor.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.