Peseiro: "Contribui para a reabilitação deste clube e desta equipa"

O treinador do Sporting lembra que a sua equipa está "em condições de vencer todas as provas" em que está inserido

José Peseiro assegurou este sábado que quando assumiu o comando técnico do Sporting fê-lo com "espírito de missão" e também "com muita responsabilidade e ambição".

E é nesse contexto que reclama para si alguns méritos até ao momento: "Contribuí para a reabilitação deste clube e desta equipa. Sabemos o que sofremos até agora para cumprir com isso, mas estamos em todas as provas em condições de as vencer. Demonstrámos uma grande capacidade de união, de trabalhar num clima que não foi muito simpático e é muitas vezes adverso."

Sobre o jogo deste domingo com o Boavista (20.00 horas) em Alvalade, o treinador do Sporting traça como objetivo "repetir a exibição" do jogo com o Marítimo, que os leões venceram por 2-0. "Fizemos um bom jogo. Temos qualidade para vencer o Boavista, mas temos de demonstrar em campo e para isso sabemos o que temos de cumprir em tarefas individuais e coletivas. Vencer é uma obrigatoriedade e uma responsabilidade. Somos favoritos no jogo, sem dúvidas nenhuma, queremos manter a luta pelo título e, por isso, temos de vencer", sublinhou.

Peseiro considera o Boavista "uma equipa de processos simples, com mais tempo de organização e trabalho". "É uma equipa que tem qualidade, não começaram as coisas bem para o Boavista, mas agora estão melhor", acrescentou.

Questionado sobre o jogo com o Arsenal, que os leões perderam por 1-0, o técnico leonino enalteceu as "coisas boas" que a equipa fez, embora tenha reconhecido que "também fez coisas menos boas". "Nunca nenhuma derrota nos conforta ou nos dá alegria, mas podemos recordar as coisas boas que fizemos nesse jogo, repeti-las e melhorar as menos boas. Para sermos uma equipa mais forte, com mais tempo vamos melhorar. E os jogadores que estiveram lesionados estão a melhorar e quando regressarem vão também e trazer mais qualidade", frisou.

Outra questão abordada por José Peseiro, foi a das oito lesões musculares no plantel nesta fase da época. "São oito que não têm gravidade. No alto rendimento a lesão está próxima, por isso os clubes investem nos departamentos médicos. É normal haver lesões. Algumas dessas lesões têm a ver com o contexto de início de época, jogadores que chegaram e jogaram sem a intensidade que gostaríamos. O Rostovki esteve na seleção, houve viagens, cansaço que podem influenciar essas lesões... Não estamos alarmados, mas todos os dias falamos e debatemos com a equipa médica. Reduzirmos o nível de lesões é um objetivo. Porque o problema não é só a lesão, é também o regresso à forma", explicou.

Exclusivos