Pelé encontra Mbappé em Paris

O encontro foi inicialmente marcado para novembro de 2018, mas, por causa de problemas de saúde de Pelé, acabou adiado.

Elogiado por Pelé durante a conquista do Mundial2018, Mbappé conheceu o Rei do futebol esta terça-feira, em evento de marca de relógio patrocinadora de ambos. Um encontro marcado por elogios em português e francês. O encontro foi inicialmente marcado para novembro de 2018, mas, por causa de problemas de saúde de Pelé, acabou adiado.

"O estilo dele, o tipo de jogo, é latino, praticamente brasileiro. Eu digo para ele: "Pena que não jogou no Santos'", brincou o brasileiro antes de lembrar os primeiros tempo no futebol. "No meu caso, tudo começou muito cedo. Na minha época não tinha a informação que temos hoje na TV. Meu pai fez cinco golos de cabeça num jogo só. Ele era artilheiro, e o máximo que eu queria ser quando garoto era ser como meu pai. É o que eu via naquela época. Agora, nos tempos de hoje, você tem a TV, o meio de comunicação é muito maior, tem mais jogadores para ver. Na nossa infância a gente não tinha, por isso eu queria ser igual ao meu pai", contou o brasileiro.

Já Mbappé recordou como o futebol o ajudou "a realizar sonhos". "Pelé sempre foi uma lenda, encontrá-lo era um sonho. Eu admirava a qualidade que ele tinha para finalizar as jogadas, a elegância... Sempre me inspirei nele", confessou o francês do PSG.E quando perguntaram a Pelé se tinha algum conselho a dar a Mbappé, 58 anos mais novo, o brasileiro pediu para o francês não descuidar a forma física: " Acho que de conselho não precisa mais, pois é bem preparado. Mas na nossa posição, o meu pai sempre me falava que jogar bem é um dom de Deus. Mas se você não estiver preparado fisicamente, você não vai conseguir mostrar aquele dom. O que acho que o jogador precisa é se cuidar na parte física, saúde. Ela é que faz você chegar longe.

"No Mundial2018, na Rússia, Mappé alcançou uma marca que era exclusiva de Pelé: marcar na com menos de 20 anos. Antes, tinha sido o segundo mais jovem da história a balançar as redes por duas vezes em jogos a eliminar no torneio, na vitória sobre a Argentina e depois da conquista do título na Rússia. Agora quando questionado se pode chegar ao número de golos de Pelé (marcou mais de 1000 e tem uma média de 1, 235 golos por jogo), o jogador do PSG não fez por menos. "É possível se contar Playstation, treinos...", disse o francês, arrancando gargalhadas da plateia.

Em janeiro passado, o ídolo brasileiro disse à revista France Football que Mbappé poderia ser o novo Pelé. Mas para o jovem ídolo francês: "O Rei sempre seguirá rei".

Os jornalistas quiseram ainda saber que é o melhor jogador dos últimos 25 anos. E Pelé respondeu: "Você pode dizer alguns nomes. Mas o melhor é muito difícil, há muitos grandes jogadores que ainda estão jogando. Não podemos esquecer Cristiano Ronaldo, Messi e os jovens que estão aparecendo. É difícil citar um jogador. Sempre brinco, mais uma vez vou dizer: "Por que sempre quando escolhe o melhor jogador se esquecem dos guarda-redes? O último foi Yashin, depois nunca mais se falou dos guarda-redes, só de quem faz golos. Não é justo, pois há excelentes guarda-redes.

Exclusivos