João Sousa qualifica-se para a terceira ronda do Open da Austrália

O tenista português João Sousa qualificou-se esta quinta-feira para a terceira ronda do Open da Austrália, ao vencer o alemão Philipp Kohlschreiber numa batalha de cinco 'sets'.

João Sousa, número um português e 44.º mundial, único luso ainda em competição em Melbourne Park, bateu o jogador da Alemanha (34.º do ranking), pelos parciais de 7-5, 4-6, 7-6 (7-4), 5-7 e 6-4, em quatro horas e 18 minutos.

Na primeira eliminatória, o vimaranese também precisou de cinco 'sets' para vencer o argentino Guido Pella, 66.º, em quatro horas.

Na próxima ronda, o tenista português vai defrontar o japonês Kei Nishikori, nono da hierarquia mundial. O nipónico venceu hoje o crota Ivo Karlovic, também em cinco 'sets', em três horas e 48 minutos de jogo.

Na quarta-feira, João Sousa avançou para a segunda ronda de pares neste primeiro 'major' do ano, ao lado do argentino Leonardo Mayer, depois da dupla luso-argentina vencer os espanhóis Feliciano Lopez e Marc Lopez por 6-4, 6-7 (1-7) e 6-3.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Crespo

E uma moção de censura à oposição?

Nos últimos três anos, o governo gozou de um privilégio raro em democracia: a ausência quase total de oposição. Primeiro foi Pedro Passos Coelho, que demorou a habituar-se à ideia de que já não era primeiro-ministro e decidiu comportar-se como se fosse um líder no exílio. Foram dois anos em que o principal partido da oposição gritou, esperneou e defendeu o indefensável, mesmo quando já tinha ficado sem discurso. E foi nas urnas que o país mostrou ao PSD quão errada estava a sua estratégia. Só aí é que o partido decidiu mudar de líder e de rumo.