Fábio Coentrão regressa ao Rio Ave para voltar a ser feliz

Lateral esquerdo anunciado esta sexta-feira como reforço dos vila-condenses, clube em que fez toda a formação

O Rio Ave anunciou esta sexta-feira, através de um vídeo no Facebook, a contratação de Fábio Coentrão. "Olá, sou eu, o novo reforço do Rio Ave", afirmou o lateral esquerdo internacional português, que assinou contrato válido por uma temporada após rescindir com o Real Madrid.

O defesa de 30 anos, que vestiu a camisola da seleção nacional por 52 vezes, regressa assim ao clube em que foi formado e que o projetou no futebol profissional, em 2005/06.

Fábio Coentrão encontrava-se a treinar à parte da equipa principal do Real Madrid e procurava um novo desafio, depois de ter sido emprestado ao Sporting na época passada, tendo atuado em 44 partidas às ordens de Jorge Jesus.

"Passei por muito no futebol. Já passei pelo melhor clube do mundo. Já passei por muitos bons clubes. Mas cheguei a um ponto da minha carreira em que acho que tenho de ser feliz. Preciso de ter felicidade no futebol e sei que a vou encontrar aqui no clube da minha terra. Sei que aqui sou amado, que as pessoas me querem aqui. Não estou a dizer que não me querem noutros sítios. Chego a um ponto da minha carreira em que acho que tenho de ser feliz. Precisava de sentir a alegria de estar em casa. No Sporting, no ano passado, senti um carinho especial. Eu próprio tenho um carinho tremendo pelo Sporting, mas derivado a situações que se estão a passar, vejo muitas coisas no futebol que me dizem que tenho de voltar ao clube da minha terra para ser feliz", vincou Fábio Coentrão, em declarações reproduzidas pelo Rio Ave.

"Fiz a escolha certa. Já conquistei de tudo no futebol, todos os títulos possíveis, tive uma carreira muito bonita, mas não quero que fique por aqui. Quero ajudar o clube da minha terra a conquistar êxitos. O futebol para o Fábio não acabou. Hoje, sinto-me como se estivesse a começar", acrescentou.

"Voltar ao clube da minha terra diz-me muito. Ao contrário do que muita gente possa vir a dizer, neste momento eu sou uma pessoa feliz. Quem nasce caxineiro é impossível esquecer-se das suas origens. Estou super feliz", rematou.

Ler mais

Exclusivos