O primeiro a ganhar dois anos seguidos na Senhora da Graça

Em 39 chegadas à Senhora da Graça, só Raúl Alarcón (w52-FC Porto) conseguiu duas vitórias consecutivas. Feito inédito desde que a Volta a Portugal começou a subir o Monte Farinha, em 1978.

De resto, nenhum ciclista conseguiu vencer por mais de duas vezes esta mítica etapa. Marco Chagas (1979, 1985), Carlos Moreira (1986 e 1988) e José Luis Rebollo (1998 e 2001) foram os outros atletas a bisarem na Senhora da Graça.

Vencedores das 39 chegadas ao alto da Senhora da Graça:

1978 - João Costa (Campinense).

1979 - Marco Chagas (Lousa-Trinaranjus).

1980 -- neutralizada.

1981 - Benjamim Carvalho (Coimbrões-Fagor).

1983 - Venceslau Fernandes (Rodovil-Ajacto).

1984 - Manuel Cunha (Ovarense-Herculano).

1985 - Marco Chagas (Sporting-Raposeira).

1986 - Carlos Moreira (Sangalhos-Recer).

1987 - Manuel Vilar (Boavista-Sportlis).

1988 - Carlos Moreira (Boavista-Sarcol).

1989 - Santiago Portillo, Esp (Lótus-Zahor).

1990 - Joaquim Gomes (Sicasal-Acral).

1991 - Jorge Silva (Sicasal-Acral).

1992 - Cássio Freitas, Bra (Recer-Boavista) *.

1993 - Quintino Rodrigues (Imporbor-Feirense).

1994 - Felice Puttini, Sui (Brescialat).

1995 - António Correia (Janotas & Simões).

1996 - Massimiliano Lelli, Ita (Saeco-Levira).

1997 - Zenon Jaskula, Pol (Mapei).

1998 - José Luis Rebollo, Esp (Recer-Boavista).

1999 - Michele Laddomada, Ita (LA-Pecol).

2000 - Claus Moller, Din (Maia-MSS).

2001 - José Luis Rebollo, Esp (Festina).

2002 - Joan Horrach, Esp (Milaneza-MSS).

2003 - Pedro Arreitunandia, Esp (Carvalhelhos-Boavista).

2004 - David Arroyo, Esp (LA-Pecol).

2005 - Adolfo Garcia Quesada, Esp (Comunitat Valenciana).

2006 - João Cabreira (Maia-Milaneza).

2007 - Eladio Jimenez, Esp (Karpin-Galicia).

2008 -- Juan Cobo Acebo, Esp (Scott-American Beef).

2009 -- André Cardoso, Por (Palmeiras Resort-Prio) **.

2010 -- David Blanco, Esp (Palmeiras Resort-Prio).

2011 -- Hernâni Broco, Por (LA-Antarte).

2012 -- Rui Sousa, Por (Efapel-Glassdrive).

2013 - Sergio Pardilla, Esp (MTN-Qhubeka).

2014 -- Edgar Pinto, Por (LA-Antarte).

2015 -- Filipe Cardoso, Por (Efapel)

2016 - Gustavo Veloso, Esp (W52-FC Porto)

2017 - Raúl Alarcón, Esp (W52-FC Porto)

2018 - Raúl Alarcón, Esp (W52-FC Porto)

* Quintino Rodrigues (Philips-Feirense) foi o primeiro a cortar a meta, mas, posteriormente, veio a ser desclassificado por doping.

** João Cabreira, Por (CC Loulé-Louletano) foi o primeiro e Nuno Ribeiro (Liberty Seguros) o segundo, mas os seus resultados foram anulados por doping.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Discretamente, sem ninguém ver

Enquanto nos Estados Unidos se discute se o candidato a juiz do Supremo Tribunal de Justiça americano tentou, ou não, há 36 anos abusar, ou mesmo violar, uma colega (quando tinham 17 e 15 anos), para além de tudo o que Kavanauhg pensa, pensou, já disse ou escreveu sobre o que quer que seja, em Portugal ninguém desconfia quem seja, o que pensa ou o que pretende fazer a senhora nomeada procuradora-geral da República, na noite de quinta-feira passada. Enquanto lá se esmiúça, por cá elogia-se (quem elogia) que o primeiro-ministro e o Presidente da República tenham muito discretamente combinado entre si e apanhado toda a gente de surpresa. Aliás, o apanhar toda a gente de surpresa deu, até, direito a que se recordasse como havia aqui genialidade tática. E os jornais que garantiram ter boas fontes a informar que ia ser outra coisa pedem desculpa mas não dizem se enganaram ou foram enganados. A diferença entre lá e cá é monumental.

Premium

Ruy Castro

À falta do Nobel, o Ig Nobel

Uma das frustrações brasileiras históricas é a de que, até hoje, o Brasil não ganhou um Prémio Nobel. Não por falta de quem o merecesse - se fizesse direitinho o seu dever de casa, a Academia Sueca, que distribui o prémio desde 1901, teria descoberto qualidades no nosso Alberto Santos-Dumont, que foi o verdadeiro inventor do avião, em João Guimarães Rosa, autor do romance Grande Sertão: Veredas, escrito num misto de português e sânscrito arcaico, e, naturalmente, no querido Garrincha, nem que tivessem de providenciar uma categoria especial para ele.