O pai do futebol nos Estados Unidos ao lado de Dias Ferreira

Francisco Marcos já foi vice-presidente de três equipas de futebol dos Estados Unidos da América e do Canadá

Francisco Marcos, catalogado como o pai do futebol nos Estados Unidos da América, vai assumir a função de conselheiro executivo do presidente na eventualidade de Dias Ferreira vencer as eleições agendadas para 8 de setembro.

Francisco Marcos foi vice-presidente de três equipas dos Estados Unidos e do Canadá (Tampa Bay Rowdies, Dallas Tornado e Calgary Boomers) tendo sido mais tarde indigitado como diretor da US Soccer Federation, cargo no qual esteve durante 16 anos.

O apoiante de Dias Ferreira é também visto como o principal dinamizador do futebol nos Estados Unidos. Fundou a United Soccer Leagues, da qual é na atualidade presidente emérito. É também presidente da Soccer Management International, empresa que se tem especializado em parcerias entre instituições portuguesas e norte-americanas no mundo do futebol e a organizar digressões de equipas norte-americanas na Europa, com especial atenção a Portugal.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".