Novas regras garantem que Euro 2020 vai ter um estreante

Sorteio da fase de qualificação não impedirá que Geórgia, Bielorrússia, Kosovo ou Macedónia se estreiem na maior competição europeia de seleções

A fase final do campeonato da Europa de futebol de 2020 terá, de certeza, um estreante, independentemente das condicionantes e do que ditar no domingo, em Dublin, o sorteio da fase de qualificação.

As bolas da sorte não impedirão, em circunstância alguma, o 'nascimento' de um 34.º finalista, a sair de entre Geórgia, Bielorrússia, Kosovo e Macedónia, os quatro vencedores dos agrupamentos da Liga D da Liga das Nações.

Como a Liga D tem uma vaga assegurada, uma destas seleções está certa na fase final do Europeu, ou via qualificação, com um dos dois primeiros lugares dos 10 grupos de qualificação, ou num 'play-off', que, provavelmente, será disputado pelas quatro.

Quanto às seleções das outras ligas que já garantiram o 'play-off', a Finlândia e a Sérvia - neste caso não contando os resultados de Jugoslávia e Sérvia e Montenegro -, na C, e a Bósnia-Herzegovina, na B, também são candidatas a estreantes.

As outras seleções que, não conseguindo um dos dois primeiros lugares do seu grupo, têm assegurado o 'play-off' são Portugal, Suíça, Holanda e Inglaterra, da Liga A, Ucrânia, Suécia e Dinamarca, na B, e Escócia e Noruega, na C.

Os 16 vencedores dos grupos da primeira edição da Liga das Nações partem, assim, em 'vantagem' para o sorteio, pois são os únicos que, garantidamente, podem qualificar-se para a fase final não ficando nos dois primeiros dos seus grupos.

Esta situação não condiciona, porém, o sorteio, ao contrário de muitas outras, já impostas pela UEFA, como o 'ranking', que divide as seleções por potes, sendo os grupos, num total de 10, cinco de cinco e cinco de seis, compostos por uma de cada.

Devido à 'final four' da Liga das Nações, Portugal, Suíça, Inglaterra e Holanda já sabem que ficam em grupos de cinco, o que acontecerá ainda a um conjunto do Pote 1, sendo os restantes colocados em grupos de seis, com as cinco formações do Pote 6.

O sorteio tem mais condicionantes, nomeadamente para os 12 países que vão acolher jogos da fase final (Azerbaijão, Dinamarca, Inglaterra, Alemanha, Hungria, Itália, Holanda, República da Irlanda, Roménia, Rússia, Escócia e Espanha).

Para que todos tenham a possibilidade de se qualificar, cada grupo não poderá ter mais do que duas seleções anfitriãs.

As restrições contemplam também seleções que não se podem encontrar: a Espanha não ficará no mesmo grupo de Gibraltar e o Kosovo não medirá forças com Bósnia-Herzegovina nem Sérvia.

O clima também influenciará o sorteio, com Bielorrússia, Estónia, Ilhas Faroé, Finlândia, Islândia, Letónia, Lituânia, Noruega, Rússia e Ucrânia a terem de se 'espalhar' pelos agrupamentos, não podendo ficar mais do que duas.

Das 10, três (Ilhas Faroé, Finlândia e Islândia) são classificados como tendo "invernos muito rigorosos", pelo que não podem jogar em casa em março e novembro, sendo que as restantes deverão receber "o mínimo de jogos possíveis" nessas datas.

As distâncias também serão tidas em conta, com o Cazaquistão a ser o mais condicionado: entre Andorra, Inglaterra, França, Islândia, Malta, Irlanda do Norte, Portugal, República da Irlanda, Escócia, Espanha e País de Gales, só pode 'escolher' um.

Por seu lado, o Azerbaijão não poderá enfrentar simultaneamente Portugal e Islândia, enquanto os islandeses só podem enfrentar um país entre Arménia, Chipre, Geórgia e Israel.

O sorteio da fase de qualificação para o Europeu de 2020 - que se realiza de 21 de março a 19 de novembro, com o 'play-off' entre 26 e 31 de março de 2020 - está marcado para domingo, em Dublin.

Exclusivos

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O voluntariado

A voracidade das transformações que as sociedades têm sofrido nos últimos anos exigiu ao legislador que as fosse acompanhando por via de várias alterações profundas à respetiva legislação. Mas há áreas e matérias em que o legislador não o fez e o respetivo enquadramento legal está manifestamente desfasado da realidade atual. Uma dessas áreas é a do voluntariado. A lei publicada em 1998 é a mesma ao longo destes 20 anos, estando assim obsoleta perante a realidade atual.