Nelson Évora e Inês Henriques condecorados pelo Presidente da República

Os dois atletas portugueses foram agraciados com ordens de mérito por Marcelo Rebelo de Sousa após a conquista dos títulos europeus no triplo salto e nos 50 km marcha, em Berlim

Marcelo Rebelo de Sousa condecorou esta segunda-feira no Palácio de Belém os atletas Nelson Évora e Inês Henriques com a Grã Cruz da Ordem de Mérito e a Grande Oficial da Ordem de Mérito, respetivamente.

No momento da distinção, Marcelo Rebelo de Sousa descreveu o triplista e a marchadora como "vencedores" e "exemplos de excelência nacional".

"Nelson Évora e Inês Henriques têm em comum talento, determinação, capacidade de luta, resistência física e psíquica, e espírito de reinvenção ilimitados. Para eles não há fronteiras inultrapassáveis, nem desafios invencíveis", realçou o Presidente da República.

Após receber a distinção, Inês Henriques, campeã mundial e europeia dos 50 km marcha, confessou-se "orgulhosa e recompensada pelos 26 anos de trabalho" e destacou a luta que tem levado a cabo em nome das mulheres para que esta prova passe a constar nas grandes competições internacionais.

"Este reconhecimento é muito especial porque os 50 km marcha foram a oportunidade que eu e o meu treinador agarrámos para fazer algo de diferente e histórico. Conseguimos mudar mentalidades e mostrar que nós mulheres conseguimos fazer a prova com qualidade", referiu a marchadora do CN Rio Maior.

Depois de ter levado a que esta prova constasse nos Mundiais e Europeus de atletismo, a marchadora já aponta aos Jogos Olímpicos Tóquio2020.

"Óbvio que quero lutar para estar nos Jogos Olímpicos e lutar por uma medalha. Sei que a tarefa vai ser cada vez mais difícil, mas estou a preparar a minha equipa para poder dar a resposta da melhor forma", finalizou Inês Henriques.

Por seu lado, Nelson Évora, medalha de ouro no triplo salto, reconheceu ser "uma grande honra receber esta condecoração" e promete continuar a "honrar os portugueses".

Apesar de contar no seu historial com títulos em todas as grandes provas, o atleta diz manter a sua ambição por encontrar "sempre algo mais para conquistar".

"Já ganhei tudo o que tinha para ganhar, mas continuo supermotivado como se fosse o primeiro dia da minha carreira para continuar a fazer história e dignificar os portugueses", frisou o atleta do Sporting.

Nesta cerimónia estiveram também presentes familiares e amigos dos dois atletas, bem como o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, o presidente da Federação Portuguesa de Atletismo, Jorge Vieira, a presidente da Câmara Municipal de Rio Maior, Isaura Morais, e o presidente da Comissão de Gestão do Sporting, Torres Pereira.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.

Premium

Opinião

Angola, o renascimento de uma nação

A guerra do Kosovo foi das raras seguras para os jornalistas. Os do poder, os kosovares sérvios, não queriam acirrar ainda mais a má vontade insana que a outra Europa e a América tinham contra eles, e os rebeldes, os kosovares muçulmanos, viam nas notícias internacionais o seu abono de família. Um dia, 1998, 1999, não sei ao certo, eu e o fotógrafo Luís Vasconcelos íamos de carro por um vale ladeado, à direita, por colinas - de Mitrovica para Pec, perto da fronteira com o Montenegro. E foi então que vi a esteira de sucessivos fumos, adiantados a nós, numa estrada paralela que parecia haver nas colinas.