Não, o cartoon sobre Serena Williams não é racista, diz entidade reguladora

Australian Press Council decidiu que a imagem satírica não violou os padrões da imprensa do país, ao ilustrar a "birra no court" na final do US Open de 2018 "usando sátira, caricatura, exagero e humor".

O cartoon de um jornal australiano que tanta polémica causou, ao retratar a tenista Serena Williams como uma menina birrenta, aos pulos com a raquete partida e uma chupeta no chão que ela tinha cuspido, não é racista, segundo o Australian Press Council.

Segundo a decisão da entidade reguladora do país para a comunicação social, a imagem satírica não violou os padrões da imprensa australiana, ao ilustrar a "birra no court" na final do US Open de 2018 "usando sátira, caricatura, exagero e humor".

A publicação do cartoon aconteceu logo após a final mal-humorada de Serena, na qual Williams acusou o juiz da partida, Carlos Ramos, de ter um tratamento alegadamente machista. A entidade reguladora recebeu várias queixas sobre a imagem, que provocou críticas por todo o mundo. A Associação Nacional de Jornalistas Negros, dos EUA, afirmou então que o cartoon era "repugnante em muitos aspetos".

O conselho disse que o jornal "descreveu o momento em que, numa birra bastante animada, Williams esmagou uma raquete e acusou fortemente o árbitro, chamando-o de ladrão, mentiroso e ameaçando que nunca mais voltaria a disputar jogos" arbitrados por Carlos Ramos.

O jornal The Herald Sun, que publicou o cartoon, disse então "que queria capturar a birra de Williams usando sátira, caricatura, exagero e humor, e o desenho pretendia mostrar o seu comportamento como infantil, mostrando-a cuspindo uma chupeta enquanto ela saltava acima e abaixo".

Apesar da adversária de Williams, a japonesa Naomi Osaka, que tem origens nipónicas e haitianas, ser retratada como uma mulher loira e magra - a quem o árbitro pede: "Não pode simplesmente deixá-la vencer?" - o Australian Press Council notou que, na altura, "concretamente, expressou-se a preocupação de que a caricatura mostrasse a sra. Williams com grandes lábios, um largo nariz achatado, um penteado de rabo-de-cavalo estilo afro diferente daquele usado pela sra. Williams durante a partida e posicionada numa pose de macaco".

"Também foi notado que o cartoon devia ser considerado no contexto da história das caricaturas baseadas em representações racistas e históricas dos afro-americanos."

Na altura, o editor do Herald Sun, DamonJohnston, afirmou que o desenho "não tinha nada a ver com género ou raça", que se tratava apenas "uma tenista campeã que teve uma megabirra num palco mundial, e (o) desenho animado retratou isso". A entidade reguladora acabou por lhe dar razão.

Exclusivos