Mundial2018: Presidente uruguaio convida Griezmann a visitar o país

O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, convidou na terça-feira o futebolista francês a visitá-lo para lhe agradecer por ter utilizado a bandeira do país na conferência de imprensa após os gauleses conquistarem o Mundial 2018.

Em carta enviada ao presidente francês, Emmanuel Macron, publicada na página oficial na internet da presidência uruguaia, Vázquez convidou o avançado e deu os parabéns ao seu homólogo, ao povo gaulês, aos jogadores e à equipa técnica dos campeões do Mundo, que nos quartos de final eliminaram precisamente a seleção celeste (2-0).

"Jamais conseguirei agradecer o gesto que fizeste pelo Uruguai, quando levantaste a bandeira do nosso país na conferência de imprensa em Moscovo", no domingo, após a final do Mundial 2018, em que os bleus baterem a Croácia (4-2), disse o presidente uruguaio ao francês, jogador dos espanhóis do Atlético Madrid.

Na conferência de imprensa após a partida, Antoine Griezmann colocou a bandeira da celeste nos ombros a pedido de um jornalista uruguaio, mantendo-a nos festejos dos franceses.

O atleta, de 27 anos, que marcou frente ao Uruguai nos quartos e não comemorou, confessou após a partida diante da celeste que foi ajudado por um uruguaio no início da sua carreira futebolística, tendo uma relação de respeito com o país sul-americano.

A França acabou na primeira posição do Grupo C, tendo batido depois a Argentina (4-3), nos oitavos de final, o Uruguai (2-0), nos quartos, a Bélgica (1-0), na meias-finais, e a Croácia (4-2), na final.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.