Mundial Outono/Inverno. Já há data para o campeonato do Qatar

As ligas europeias terão de adaptar o calendário para acomodar esta paragem

O próximo mundial de futebol vai realizar-se de 21 de novembro a 18 de dezembro de 2022, no Qatar, anunciou esta sexta-feira o presidente da FIFA, Gianni Infantino.

As altas temperaturas registadas no país em junho e julho fazem com que seja impossível jogar nestes meses, reconhece a organização que tutela o futebol mundial. Segundo dados da Organização Meteorológica Mundial, a temperatura média é de 33,9º em junho e 34,7º em julho (com máximas superiores a 41º), enquanto em novembro é de 24,2º e em dezembro de 19,2.

"Em novembro e dezembro os jogadores estão bem preparados, porque é quase o início da temporada. As federações estão informadas e terão que adaptar os seus calendários", disse esta sexta-feira Gianni Infantino, presidente da FIFA, em Moscovo, acrescentando que as ligas europeias terão de adaptar os seus calendários para acomodar esta paragem.

Ler mais

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.