Vamos na segunda jornada e Mourinho já perdeu

Manchester United batido sem apelo nem agravo no terreno do modesto Brighton por 3-2. Erros na primeira parte ditaram o rumo do encontro

E ao segundo jogo o Manchester United perdeu na Premier League. Na época passada apenas na 9.ª jornada os red devils foram desfeiteados, na altura no terreno do Huddersfield. Neste domingo o Brighton venceu por 3-1, com o resultado a fazer-se na primeira parte.

Em dois minutos tudo se desmoronou. Aos 25' o veterano Glenn Murray fez o 1-0, aos 27' foi a vez do defesa irlandês Shane Duffy. É certo que aos 34' Lukaku conseguiu reduzir distâncias com um cabeceamento perto da linha de golo que Mathew Ryan não conseguiu deter. Porém, Baily cometeu um penálti escusado que De Gea quase conseguia suster depois de um mau remate de Pascal Gross, que acabou por ter alguma felicidade.


Refira-se que já na época passada o Brighton tinha recebido e batido o Manchester United de José Mourinho com um golo solitário de Pascal Gross.

Mourinho ainda apostou em Lingard, Rashford e Fellaini mas o melhor que conseguiu foi o 2-3 na cobrança de uma grande penalidade, apontada nos descontos a punir um eventual derrube de Fellaini. Vida difícil para o treinador português cujo cargo não parece seguro, principalmente depois de se ter falado na possibilidade de Zidane o substituir.

Pode consultar a classificação da Premier League aqui.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.