Portugal conquista medalha de prata na prova mista de judo

A seleção portuguesa de judo conquistou esta terça-feira a medalha de prata na competição mista dos II Jogos Europeus, em Minsk, na Bielorrússia, ao perder na final com a Rússia por 4-3.

Portugal chegou a 3-0, com os triunfos de Bárbara Timo (-70 kg), Anri Egutidze (-90 kg) e Rochele Nunes (+78 kg), mas, depois, Jorge Fonseca (+100 kg), Telma Monteiro (-57 kg) e Jorge Fernandes (-73 kg), por duas vezes, a última no desempate, perderam.

A seleção lusa soma uma medalha de ouro, por intermédio Carlos Nascimento, nos 100 metros, e agora quatro de prata, com o judo a juntar-se a ao ciclista Nelson Oliveira (contrarrelógio) e às ginastas acrobatas Bárbara Sequeira, Francisca Maia e Francisca Sampaio Maia, em combinado e no exercício dinâmico.

Na prova de equilíbrio, as ginastas ainda conseguiram uma medalha de bronze, também alcançada pela judoca Telma Monteiro (-57 kg) e a estafeta mista dos 4x400 metros (Ricardo dos Santos, Cátia Azevedo, João Coelho e Rivinilda Mentai).

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.