Rui Oliveira encerra participação portuguesa com um 4.º lugar

O ciclista Rui Oliveira concluiu este domingo no quarto lugar a prova de omnium, em pista, dos II Jogos Europeus, a 11 pontos do bronze, em Minsk.

O atleta luso terminou com 126 pontos, em prova arrebatada pelo holandês Willem Van Schip com 178, seguido do suíço Thery Schir, com 144, e do polaco Staniszewski, com 126.

No scratch, Rui Oliveira foi sexto entre os 16 ciclistas em prova, concluída pelo polaco Daniel Staniszewski em 11.43 minutos.

A segunda prova, tempo, integrou um quarteto de terceiros classificados com dois pontos, afastados do suíço Franck Thery, com 20, e do holandês Willem van Schip.

Na corrida a eliminar terminou em sétimo, na de pontos conquistaria 25.

Portugal concluiu os II Jogos Europeus com 15 medalhas, três delas de ouro, conquistadas pela seleção de futebol de praia, por Fu Yu, na competição de singulares femininos de ténis de mesa, e Carlos Nascimento, nos 100 metros.

A representação lusa amealhou ainda seis de prata, pela equipa de judo, pelo ciclista Nelson Oliveira no contrarrelógio, pelas ginastas acrobatas Bárbara Sequeira, Francisca Maia e Francisca Sampaio Maia, nas provas de combinado e de exercício dinâmico, e por Fernando Pimenta, em K1 1.000 e K1 5.000 metros.

Na prova de equilíbrio, as três ginastas também conquistaram uma medalha de bronze, tal como a judoca Telma Monteiro (-57 kg), a estafeta mista dos 4x400 metros, Diogo Ganchinho, nos trampolins, a karateca Patrícia Esparteiro, em kata, e a seleção masculina de ténis de mesa no torneio por equipas.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.