Nani assumiu as rédeas do leão para a aproximação ao topo

O Sporting venceu tranquilamente o Boavista, por 3-0, em Alvalade, e já só está a dois pontos da liderança. Nani bisou e Bruno Fernandes também assinou o ponto

O Sporting garantiu na noite deste domingo uma aproximação ao topo da tabela, com um triunfo confortável diante do Boavista, em Alvalade, por 3-0. A equipa de José Peseiro fica assim a apenas dois pontos dos líderes FC Porto e Sp. Braga, tendo apenas um de atraso relativamente a Benfica e Rio Ave.

Foi uma espécie de jogo de reconciliação da equipa com os seus adeptos, depois das críticas à exibição com o Loures, para a Taça de Portugal, e da derrota diante do Arsenal. É que à exceção de um susto nos minutos iniciais, os axadrezados nunca se mostraram capazes de fazer face à superioridade dos leões, que foram ganhando confiança à medida que o tempo foi passando, impulsionados pela garra e talento de Nani.

O Sporting entrou forte no jogo, tentando ganhar cedo vantagem para evitar calafrios, mas começou por encontrar um guarda-redes Helton Leite, que nos primeiros minutos evitou duas boas chances para que o marcador fosse aberto. Só que o Boavista era uma equipa que procurava sair com segurança para ataques rápidos, procurando os espaços através de Fábio Espinho e Rochinha. Mas acabou por ser na sequência de uma bola parada que os axadrezados colocaram o adversário em sentido, quando Mateus aproveitou uma bola na esquerda para rematar ao poste.

Nani contra a desconfiança

Os adeptos sportinguistas, ainda desconfiados sobre aquilo que pode fazer a equipa de Peseiro, terão pensado que a noite ia ser difícil. Mas não foi. Os jogadores do Sporting arregaçaram as mangas e foram para a frente, impulsionados por Acuña na esquerda e por Nani, que aparecia em várias zonas do terreno para baralhar os defensores contrários. No entanto, em vez de procuraram entrar em tabelas pela zona central ou pelas alas, os leões procuravam sobretudo os cruzamentos para a área, mas Bas Dost estava sentado no banco, e o central Neris foi cortando tudo o que lhe era possível.

Acabou por ser precisamente de um cruzamento, em mais uma jogada de insistência, que Montero descobriu Nani entre os centrais boavisteiros, que foram surpreendidos pela entrada de cabeça do extremo que não deu hipóteses a Helton Leite. A defesa axadrezada não pode dizer que não estava avisada, pois instantes antes Nani tinha obrigado o guarda-redes a uma grande defesa.

Nesta altura, o Boavista já só se limitava a defender e as suas tentativas de transição para o ataque eram bloqueadas por Battaglia e Gudelj. Talvez por isso, Jorge Simão tenha a um minuto do intervalo tirado o médio defensivo Idris Mandiang e lançado Rafael Costa para tentar que a equipa conseguisse ter mais tempo a bola em seu poder.

Jogo resolvido para entrar Bas Dost

E a verdade é que no início da segunda parte o Boavista entrou melhor, tendo beneficiado de um livre que obrigou o guarda-redes Renan Ribeiro a desviar para canto um pontapé colocado de Rafael Costa. E mais não se viu da equipa de Jorge Simão, pois os leões voltaram a assumir o controlo da partida e começou por dar o primeiro aviso para o que se seguiria, quando Bruno Fernandes rematou ao poste.

Num espaço de três minutos, o Sporting arrumou com o jogo, primeiro por Bruno Fernandes com um remate colocado, após um bom cruzamento atrasado de Diaby, e depois por Nani, que aproveitou um ressalto na área para fechar as contas de um jogo que depois teve como principais motivos de interesse a forma como Diaby se soltou para um bom final de jogo e, sobretudo, o regresso de Bas Dost, que entrou aos 78 minutos após dois meses e dez dias depois de ter contraído uma lesão no jogo com o V. Setúbal na 2.ª jornada.

O holandês até andou a cheirar o golo, mas os defesas do Boavista acabaram por conseguir bloquear as linhas de passe para a cabeça do matador sportinguista.

A FIGURA - Nani

Abriu o caminho para a vitória com um cabeceamento certeiro que não deu hipóteses a Helton Leite, depois de algumas ameaças à baliza do Boavista. Numa exibição de garra com pinceladas de talento, o capitão leonino mostrou mais uma vez a grande importância que tem na equipa de José Peseiro. Acabou por voltar a marcar já na segunda parte, alcançando o seu segundo bis da temporada, contabilizando já cinco na I Liga.

VEJA AQUI O RESUMO DA PARTIDA:

FICHA DO JOGO
Estádio José Alvalade, em Lisboa (27 894 espectadores)
Árbitro: Carlos Xistra (Castelo Branco)

Sporting: Renan Ribeiro; Bruno Gaspar, Coates, Mathieu, Acuña (Bas Dost, 78'); Battaglia, Gudelj; Diaby (Bruno César, 87'), Bruno Fernandes, Nani; Fredy Montero (André Pinto, 79')
Treinador: José Peseiro

Boavista: Helton Leite; Edu Machado, Neris, Gonçalo Cardoso, João Talocha; David Simão, Idris (Rafael Costa, 44'); Rochinha, Fábio Espinho (André Claro, 75'), Mateus (Matheus Índio, 59'); Rafael Lopes
Treinador: Jorge Simão

Cartão amarelo a Acuña (47'), Rochinha (56'), David Simão (65'), Fredy Montero (65') e Gonçalo Cardoso (68')

Golos: 1-0, Nani (31'); 2-0, Bruno Fernandes (64'); 3-0, Nani (66')

FILME DO JOGO

Ler mais

Exclusivos