Marega: "Nunca me recusei a jogar e treinar"

Avançado maliano utilizou o Instagram para esclarecer a sua situação no FC Porto, depois de ter ficado de fora no jogo da Supertaça.

O avançado maliano Moussa Marega utilizou o Instagram para esclarecer a sua situação no FC Porto, depois de ter ficado de fora da Supertaça Cândido de Oliveira, em que os dragões bateram o Desportivo das Aves por 3-1.

"Eu nunca me recusei a jogar e treinar! Boa Noite!", publicou numa instastorie.

Estas declarações vêm ao encontro das de Sérgio Conceição na véspera da partida, em que o técnico portista nunca confirmou que o antigo atacante de Marítimo e V. Guimarães tenha recusado treinar ou jogar. "Achei por bem, de acordo com a semana de trabalho, o microciclo dos treinos e a minha exigência na preparação para este jogo, não incluir o Marega na convocatória. No ano passado, tivemos o exemplo de jogadores a quem aconteceu o mesmo e, mais tarde, foram importantes na conquista do título e no trajeto da equipa nas restantes competições. Neste ano começou mais cedo... É verdade, mas estou cá para isso. Para decidir de uma forma mais simpática para uns e mais antipática para outros", tinha afirmado o técnico portista.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.