Man. United-PSG. Parisienses com triunfo importante na primeira derrota de Solskjaer

Equipa francesa venceu em Old Trafford por 2-0, com Kimpembe e Mbappé a baterem De Gea na segunda parte. Ex-avançado dos red devils sofreu a primeira derrota no comando do clube

O Paris Saint-Germain venceu esta terça-feira por 2-0 no campo do Manchester United, em jogo da primeira mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Kimpembe e Mbappé, na segunda parte, fizeram os golos na primeira derrota de Ole Gunnar Solskjaer no comando dos red devils, que acabaram o jogo com dez jogadores.

Depois de na primeira parte as duas equipas terem disputado um jogo aberto e equilibrado, foi no segundo tempo que os franceses conseguiram um resultado que poderá definir e muito a história da eliminatória. Aos 53', o Kimpembe foi a área da equipa inglesa, que se distraiu nas marcações e permitiu que o defesa encostasse na cara de De Gea para o 1-0.

No segundo golo, apenas sete minutos depois, repetiu-se o autor da assistência, Di Maria, que já alinhou no Manchester United. O argentino descobriu Mbappé no centro da área, depois de um sprint impressionante do francês para se antecipar aos defesas ingleses. Estava feito o 2-0 e o resultado não sofreria alterações nos trinta minutos que se seguiram.

Sem poder contar com Neymar e Cavani, o Paris Saint-Germain sai vitorioso de um encontro bastante importante para a época parisiente e, no desafio de Paris, vai enfrentar um Manchester United desfalcado, visto que Pogba viu o segundo amarelo e consequente vermelho ao minuto 89.

O encontro da noite de Champions desta terça-feira marca ainda a primeira derrota de Ole Gunnar Solskjaer desde que chegou ao banco do Manchester United, depois da saída de José Mourinho. O ex-avançado dos red devils consegiu 10 vitórias e um empate desde que se estreou, a 22 de dezembro. Quase dois meses depois, surge a primeira derrota, num jogo que pode significar bastante para a caminhada europeia da equipa inglesa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".