Luís Enrique usa cromos para anunciar os convocados da seleção espanhola

O selecionador de Espanha fez anuncio esta quinta-feira com um vídeo surpreendente

O selecionador espanhol Luís Enrique surpreendeu esta quinta-feira ao anunciar os convocados para os jogos com a Croácia e a Bósnia de forma inovadora, utilizando os cromos dos jogadores.

A grande novidade é o regresso de Jordi Alba, defesa-esquerdo do Barcelona, que tinha ficado fora das opções de Luís Enrique nas duas primeiras listas após o Mundial de 2018. Também Isco (Real Madrid) e Sergi Roberto (Barça) estão de volta, depois de terem falhado os últimos jogos por lesão.

Há ainda a destacar as estreias de Brais Méndez (médio do Celta de Vigo), Mario Hermoso (defesa-central do Espanyol), Diego Llorente (defesa da Real Sociedad) e Fornals (médio do Villarreal).

De fora ficam os lesionados Koke e Diego Costa, do Atlético de Madrid, e Thiago Alcântara do Bayern Munique.

A seleção espanhola defronta no dia 15 a Croácia, em Zagreb, em partida decisiva para o apuramento para o play-off da Liga das Nações, e no dia 18 com a Bósnia, um particular que se realiza em Las Palmas.

Eis a lista completa dos cromos de Luís Enrique:

Guarda-redes: De Gea (Manchester United), Kepa Arrizabalaga (Chelsea), Pau López (Betis);

Defesas: Jordi Alba (Barcelona), Sergio Ramos (Real Madrid), Íñigo Martínez (Athletic Bilbau), Diego Llorente (Real Sociedad), Mario Hermoso (Espanyol), Jonny Castro (Wolverhampton), José Gayà (Valência), Azpilicueta (Chelsea);

Médios: Dani Ceballos (Real Madrid), Isco (Real Madrid), Asensio (Real Madrid), Suso (AC Milan), Fornals (Villarreal), Brais Méndez (Celta de Vigo), Saúl Ñiguez (Atlético de Madrid), Rodrigo Hernández (Atlético de Madrid), Sergi Roberto (Barcelona), Sergio Busquets (Barcelona);

Avançados: Rodrigo Moreno (Valência), Iago Aspas (Celta de Vigo), Álvaro Morata (Chelsea)

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Angola, o renascimento de uma nação

A guerra do Kosovo foi das raras seguras para os jornalistas. Os do poder, os kosovares sérvios, não queriam acirrar ainda mais a má vontade insana que a outra Europa e a América tinham contra eles, e os rebeldes, os kosovares muçulmanos, viam nas notícias internacionais o seu abono de família. Um dia, 1998, 1999, não sei ao certo, eu e o fotógrafo Luís Vasconcelos íamos de carro por um vale ladeado, à direita, por colinas - de Mitrovica para Pec, perto da fronteira com o Montenegro. E foi então que vi a esteira de sucessivos fumos, adiantados a nós, numa estrada paralela que parecia haver nas colinas.