Lista de Bruno de Carvalho chamou a polícia a Alvalade

Formalização da candidatura ainda não foi aceite esta segunda-feira

No dia em que se tornou conhecida uma decisão de tribunal a obrigar o Sporting a aceitar a candidatura da lista de Bruno de Carvalho às eleições do clube, o ex-presidente leonino não conseguiu formalizar a mesma, por indisponibilidade de Jaime Marta Soares, presidente da Mesa da Assembleia Geral (MAG), o que levou os membros da lista de Bruno de Carvalho a chamar mesmo a polícia a Alvalade, esta tarde.

"Foi mais uma manobra de Jaime Marta Soares, mais uma adiamento. Jaime Marta Soares não gosta do Sporting, porque não obedece nem uma decisão do tribunal. Diz que precisa de preparar-se, não sei do que fala. Precisa de preparar-se se já recebeu outras candidaturas? Deve estar a preparar-se para um torneio olímpico, porque deve ser muito cansativo receber candidaturas", queixou-se aos jornalistas Nuno Sousa, membro da lista ligada a Bruno de Carvalho, já depois de a PSP ter abandonado o local.

A formalização da candidatura de Bruno de Carvalho - que pode ser substituído como cabeça de lista pelo empresário Erik Kurgy, de forma a fintar a suspensão de um ano imposta recentemente ao ex-presidente pela Comissão de Fiscalização do clube - ficou entretanto agendada para as 10.30 desta terça-feira.

"Há regras e hierarquias a respeitar, como a hora de entrega de candidaturas, que o Sporting Clube de Portugal não está em auto-gestão", justificou Jaime Marta Soares, em declarações publicadas pelo Expresso. Depois da receção da candidatura, a MAG irá analisar a legalidade da mesma, num prazo de 48 horas.

Esta segunda-feira, Jaime Marta Soares recebeu as candidaturas de Frederico Varandas, Pedro Madeira Rodrigues e João Benedito, "devidamente agendadas".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.