Santos admite que Portugal tem "alguma vantagem" mas descarta favoritismo na Liga das Nações

O selecionador lembra o Euro2004, prova em que Portugal era favorito por jogar em casa e foi derrotado na final pela Grécia. E falou ainda do regime aberto dado aos jogadores até domingo: "Nesta altura, fechar os jogadores no hotel não seria bom para ninguém."

O selecionador Fernando Santos afirmou esta segunda-feira que Portugal tem "alguma vantagem" por jogar em casa a fase final da Liga dos Nações de futebol, mas descartou qualquer tipo de favoritismo e lembrou exemplos do passado.

"Em 2004, jogámos em casa e não conseguimos vencer. Fomos a França no Euro2016 e quem ganhou foi Portugal. Isso do favoritismo é muito teórico. Outra coisa é ser candidato, assumir que queremos ganhar e ter capacidade para o poder fazer. Desde que cheguei aqui assumi que Portugal era candidato a vencer o Euro2016. Agora parece que já não chega apenas ser candidato", afirmou Fernando Santos.

O selecionador nacional falava aos jornalistas em conferência de imprensa, na Cidade do Futebol, em Oeiras, minutos antes do primeiro treino de Portugal, que começou a preparar a participação na fase final da Liga das Nações.

"Temos vantagem de jogar em casa, perante o nosso público. Há uma coisa que digo sempre aos meus jogadores, que é nós não somos melhores do que ninguém, mas dificilmente alguém é melhor do que nós. Temos que provar que temos capacidade para vencer", referiu.

A primeira semana de trabalho será feita em regime aberto, com os jogadores a estarem apenas obrigados a comparecer nos treinos, uma situação que Fernando Santos considera que servirá para "refrescar mentalmente" os jogadores.

"Nesta altura, fechar os jogadores no hotel não seria bom para ninguém. Os jogadores estão cansados, vieram de uma temporada desgastante e as mensagens não iriam passar como deviam. Não está em causa o profissionalismo dos jogadores, tenho confiança ilimitada neles", explicou o técnico de 64 anos.

Fernando Santos revelou que o grupo só deverá ficar completo na quarta-feira com a chegada do capitão Cristiano Ronaldo e também dos jogadores de Sporting e FC Porto, que disputaram a final da Taça da Portugal, e abordou a chamadas de João Cancelo, que foi recentemente operado uma fratura no nariz, e Danilo, que está castigo para as meias-finais.

"Tivemos um feedback positivo por parte do Cancelo, senão não seria convocado. Terá que usar uma máscara durante algum tempo e tem que se adaptar a isso. Quanto ao Danilo, achamos que preenche vários lugares e, como há pouco tempo de descanso entre os jogos, poderá ser útil", disse.

15 anos depois do Euro2004, Portugal volta a receber uma grande competição e Fernando Santos assumiu o desejo que o ambiente vivido nessa altura seja repetido no Porto e em Guimarães.

"Acredito que é possível que exista o mesmo apoio do Euro2004, mas também temos que ver que são competições diferentes. Sei que vamos ter muito apoio", concluiu.

Portugal, campeão europeu em título, defronta a Suíça nas meias-finais da Liga das Nações, em 05 de junho, no Estádio do Dragão, no Porto, em jogo com início às 19:45. Um dia depois, Inglaterra e a Holanda disputam a outra meia-final, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, também às 19:45.

Os vencedores disputam a final da primeira edição da Liga das Nações, em 09 de junho, no Estádio do Dragão, em encontro com início às 19:45, enquanto os vencidos decidem no mesmo dia a atribuição dos terceiro e quarto lugares, no Estádio D. Afonso Henriques, às 15:00.

Primeiro treino de Portugal com apenas 15 jogadores

Portugal começou esta segunda-feira a preparar a fase final da Liga das Nações de futebol, que decorre em solo luso de 05 a 09 de junho, com um treino em que Fernando Santos apenas contou com 15 dos convocados.

Na Cidade do Futebol, em Oeiras, o selecionador nacional não pôde ainda contar com o capitão Cristiano Ronaldo, bem como com Pepe, Danilo e Bruno Fernandes, que disputaram no sábado a final da Taça de Portugal. Beto, Mário Rui, Nelson Semedo e Gonçalo Guedes também estão ainda ausentes.

Os guarda-redes José Sá e Rui Patrício já estiveram às ordens de Fernando Santos, assim como Bernardo Silva, Pizzi, João Félix, Rúben Dias, Rafa, João Cancelo, William Carvalho, José Fonte, Diogo Jota, João Moutinho, Dyego Sousa, Rúben Neves e Raphael Guerreiro.

Nos primeiros 15 minutos da sessão, que foram abertos à comunicação social, os jogadores disponíveis efetuaram os habituais exercícios de aquecimento, sempre com bola, e com os guarda-redes a trabalhar à parte.

A primeira semana de trabalho será feita em regime aberto, com os jogadores a estarem apenas obrigados a comparecer nos treinos, com a concentração para estágio a estar agendada para domingo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

adoção

Técnicos e juízes receiam ataques pelas suas decisões

É procurador no Tribunal de Cascais há 25 anos. Escolheu sempre a área de família e menores. Hoje ainda se choca com o facto de ser uma das áreas da sociedade em que não se investe muito, quer em meios quer em estratégia. Por isso, defende que ainda há situações em que o Estado deveria intervir, outras que deveriam mudar. Tudo pelo superior interesse da criança.