Um golo que abre caminho a 44 milhões de euros

Sérgio Oliveira resolveu o jogo com o Krasnodar ao cair do pano, com um grande golo de livre direto. Antes, o guarda-redes Marchesín brilhou. FC Porto tem a Champions mais perto.

89 minutos. Spajic fez falta à entrada da área sobre Zé Luís. Sérgio Oliveira assumiu a cobrança do livre direto e marcou de forma irrepreensível. Um golo que valeu o triunfo sobre o Krasnodar e deixou o FC Porto em muito boa posição de chegar ao play-off (fase que antecede a fase de grupos da Champions), mas antes ainda terá na próxima terça-feira o jogo da segunda mão, no Dragão. Um golo que, bem se pode dizer, abre caminho a um prémio de 44 milhões de euros, que é o valor que a SAD portista irá embolsar caso a equipa chegue à fase de grupos.

Uma das grandes novidades no primeiro jogo oficial do FC Porto desta época era a estreia do guarda-redes Agustín Marchesín, o argentino que chegou ao Dragão com a responsabilidade de substituir Iker Casillas. E após 80 minutos sem trabalho, o guardião que jogou como avançado até aos 15 anos mostrou toda a sua classe e impediu o golo dos russos, com uma grande defesa a remate do internacional francês Cabella. Dois lances determinantes no jogo e na vitória do FC Porto. E tudo em apenas 10 minutos. A defesa de Marchesín e o golo de Sérgio Oliveira.

Sérgio Conceição utilizou de início dois reforços - o guarda-redes Marchesín e o central Ivan Marcano - num onze com um meio-campo reforçado onde a principal novidade foi o jovem Romário Baró, que fez assim a sua estreia em jogos oficiais com a camisola do FC Porto depois de ter dado boas indicações na pré-temporada. Luís Diáz e Zé Luís, contratados neste verão, ficaram no banco; Saravia e Nakajima (o japonês n.º 10 portista) foram para a bancada.

Na primeira parte, o FC Porto teve duas boas oportunidades, diante de um adversário que tem na velocidade e na força os seus pontos fortes. Primeiro por Marega, aos 13 minutos, que isolado após uma boa assistência de Sérgio Oliveira rematou ao lado. E depois aos 24', com uma remate à meia volta de Corona que Safonov defendeu. No segundo tempo, os russos reclamaram grande penalidades, por mão na bola de Marcano. E de facto pelas imagens televisivas dá a sensação de ser...

Faltou sobretudo a este FC Porto o poder de explosão de Marega no ataque. O maliano foi titular mesmo sem ter feito qualquer jogo na pré-temporada (por ter chegado mais tarde devido à participação na Taça das Nações Africanas), mas não teve a preponderância habitual. Talvez a acusar alguma falta de ritmo. Já o jovem Romário Baró, em dia de estreia em jogos oficiais, tentou não comprometer, apesar de ter perdido algumas bolas. Mas viu um amarelo aos 48' e talvez por isso tenha sido substituído por Luís Diáz pouco depois.

O jogo ficou ainda marcado por uma curiosidade, pois nos bancos de uma e outra equipa não estava nenhum dos treinadores principais. Sérgio Conceição por estar a cumprir um jogo de castigo e Murad Musayev está suspenso um ano pela UEFA por ter orientado a equipa na época passada sem as devidas habilitações. Assim, coube aos respetivos adjuntos dar as indicações.

A FIGURA: SÉRGIO OLIVEIRA

Num jogo partido, não houve assim uma figura que se destacasse. Por isso a figura acabou por ser Sérgio Oliveira, sobretudo pelo golo que marcou de livre direto mesmo ao cair do pano que valeu a vitória dos dragões. Antes, mostrou bons pormenores no meio-campo e fez uma grande assistência na primeira parte a isolar Marega, mas o maliano atirou ao lado. Foi o 10.º golo de Sérgio Oliveira com a camisola do FC Porto, ele que não marcava há oito meses - o último tinha sido também nas provas europeias, diante do Galatasaray.

FICHA DO JOGO

Jogo no Estádio do Krasnodar.

Krasnodar - FC Porto, 0-1.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores: 0-1, Sérgio Oliveira, 89 minutos.

Krasnodar: Safonov, Ramírez, Spajic, Martynovich, Petrov, Tonny Vilhena, Kambolov (Fjoluson, 72), Cabella, Namli (Suleymanov, 66), Wanderson e Marcus Berg (Ari, 62).

FC Porto: Marchesín, Manafá, Pepe, Marcano, Telles, Danilo, Sérgio Oliveira, Romário Baró (Luís Diaz, 54), Corona (Otávio, 85), Marega, Soares (Zé Luís, 74).

Árbitro: Tobias Stieler (Alemanha).

Ação disciplinar: cartões amarelos para Kambolov (28), Danilo (38), Romário Baró (49) e Corona (63).

Exclusivos