Kalinic, o croata que foi mandado para casa e falha a final

O jogador de 30 anos terá alegado dores nas costas, mas a justificação não convenceu o treinador Zlatko Dalic

Domingo será a estreia da Croácia na final do campeonato do mundo de futebol e há um jogador ausente que vai ver o jogo de casa: Nikola Kalinic foi convocado, mas mandado para casa após o primeiro jogo na Rússia, por se ter recusado a aquecer para entrar nos últimos minutos do Croácia - Nigéria.

O jogador de 30 anos terá alegado dores nas costas, mas a justificação não convenceu o treinador Zlatko Dalic, que o mandou para casa mais cedo. "Pedi-lhe que entrasse contra a Nigéria. Disse-me que tinha dores nas costas (...). Preciso de jogadores saudáveis", justificou mais tarde o treinador.

Kalinic não comentou a saída e tem estado em silêncio nas redes sociais. O croata do Milan viu o resto do mundial de casa e a sua seleção conseguir o feito inédito de chegar à final, algo que não passou despercebido aos internautas, nem ao humorista Ricardo Araújo Pereira, que escreve como "é raro alguém cometer uma idiotice tão grande que até a história resolve aplicar um castigo", na sua crónica no jornal brasileiro Folha de São Paulo.

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.