José Mourinho multa Martial em 200 mil euros

O avançado francês falhou o regresso à digressão aos Estados Unidos depois de ter ido a Paris para assistir ao nascimento do filho

Sem perdão. O avançado francês Anthony Martial vai ter de pagar 200 mil euros de multa, segundo o jornal britânico Mirror, por não ter regressado à digressão do Manchester United aos Estados Unidos, depois de se ter deslocado a Paris para assistir ao nascimento do seu segundo filho.

O jogador deixou a comitiva dos red devils após o jogo com o AC Milan, no dia 26 de julho, e não regressou, deixando Mourinho zangado com a situação, pois Martial falhou os dois outros jogos do Manchester United na International Champions Cup, com o Liverpool e, na madrugada desta quarta-feira, com o Real Madrid.

Os responsáveis do United estão mesmo convencidos que Anthony Martial não se treinou durante o tempo que esteve em Paris, estando até desconfiados que esta ausência poderá estar relacionada com o desejo do jogador deixar Old Trafford. Aliás, o próprio Mourinho estará na disposição de deixar sair o avançado por considerar que não tem a mentalidade exigida para representar o clube.

Anthony Martial poderá ser negociado por uma verba próxima dos 80 milhões de euros, verba que poderá servir para garantir um dos jogadores pretendidos por José Mourinho, o croata Ivan Perisic, do Inter Milão.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.