José Maria Ricciardi: "Torres Pereira esconde a verdade aos sócios"

Candidato da lista B considera que o presidente da comissão de gestão não está a ser equidistante e pede aos sócios para não se deixarem enganar

José Maria Ricciardi não gostou que Artur Torres Pereira tivesse dito que a situação financeira do Sporting está controlada e referido que os avisos do candidato da lista B sobre os 123 milhões de tesouraria não correspondem à realidade. Em comunicado, Ricciardi não poupa nas críticas.

Eis o comunicado na íntegra:

A Lista B repudia e condena veementemente as declarações de Artur Torres Pereira a apelidar de Falsas as afirmações de José Maria Ricciardi no que diz respeito a alarmante situação de tesouraria do clube.

Artur Torres Pereira falha no seu compromisso em relação aos sócios em duas partes:

- Ao atacar directamente José Maria Ricciardi, não mostra equidistância nem isenção a que se comprometeu quando tomou posse.

- Esconde aos sócios a muito difícil realidade da tesouraria do Clube.

O Sporting apenas paga e com dificuldade os salários dos seus jogadores e funcionários.

Se nada foi feito, o deficit de tesouraria para esta época poderá ser superior a 100 milhões de euros.

As dividas aos fornecedores vão acumulando e são superiores a várias dezenas de milhões de euros.

Queremos apelar aos sócios que não se deixem enganar e que não escolham candidatos que manifestamente já demonstraram que não têm capacidade para ultrapassar esta situação e que dificilmente tornam o SCP campeão.

Aproveitamos para felicitar o trabalho de Sousa Cintra que conseguiu, em parte, reverter o caos em que se encontrava o SCP.

Apelamos aos sócios que compareçam em massa ao ato eleitoral, confiantes que este, dirigido por Jaime Marta Soares, respeitará as regras e a vontade dos mesmos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.