José Antonio Camacho despedido da seleção do Gabão

O treinador espanhol, que já orientou o Benfica, não resistiu aos maus resultados ao serviço da seleção africana

José Antonio Camacho foi despedido esta quarta-feira do cargo de selecionador nacional do Gabão. O treinador espanhol não resistiu aos maus resultados e, após uma reunião com os responsáveis da Federação Gabonesa de Futebol, acabou por rescindir os seu contrato.

A derrota em casa com a Zâmbia, por 0-1, na última terça-feira para a Taça das Nações Africanas foi a gota de água, isto depois de no sábado ter também empatado com o Burundi.

Aliás, Camacho, que orientou o Benfica de 2002 a 2004 e em 2007/08, não foi feliz nesta passagem pelo Gabão, uma vez que só conseguiu duas vitórias e oito empates em 17 jogos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.