Jonas faz 35 anos. Com esta idade ninguém marcou tantos golos

Nené na década de 1980 e Álvaro Pereira nos anos de 1940 são os avançados mais velhos a jogar de águia ao peito, mas o brasileiro é mais produtivo.

Jonas comemora esta segunda-feira o seu 35.º aniversário, uma marca importante para um jogador do Benfica, uma vez que desde a criação do campeonato nacional (1934/35) apenas dois avançados conseguiram atingir e superar esta idade fazendo parte da equipa principal dos encarnados.

Na década de 1940 foi Álvaro Pereira, que foi contratado ao FC Porto com 36 anos e jogou duas épocas, até aos 37. O histórico Nené jogou até aos 36 anos nos anos de 1980.

No entanto, nenhum deles chegou à idade de Jonas a fazer tantos golos. O avançado brasileiro leva esta época 14 golos: dez na I Liga, dois na Taça de Portugal, um na Liga dos Campeões e outro na Liga Europa.

Na prática, Jonas superou Nené que na temporada 1984/85, aos 35 anos, tinha assinado 12 golos, sendo que oito deles foram no campeonato e quatro em jogos da Taça de Portugal. Na época seguinte, o histórico avançado do Benfica ficou-se pelos nove golos marcados.

A Álvaro Pereira jogou apenas duas épocas de águia ao peito, mas é o avançado mais velho a vestir a camisola encarnada, se contabilizarmos apenas desde a primeira edição do campeonato nacional. Em 1941/42, na sua época de estreia aos 36 anos, fez apenas um golo no campeonato e outro na Taça de Portugal, melhorando o seu registo na temporada seguinte com três remates certeiros na prova principal do futebol nacional.

Com pelo menos dez jogos ainda por disputar esta temporada e mais um ano de contrato para cumprir, Jonas poderá aumentar seu currículo no que a golos diz respeito, uma vez que contabiliza 136 em jogos oficiais desde que chegou ao Benfica no início da temporada 1014/15. O número 10 das águias é atualmente o 11.º melhor marcador da história dos encarnados e é ainda o segundo estrangeiro com mais golos marcados pelo clube, sendo apenas superado pelo paraguaio Oscar Cardozo, que atingiu os 172 remates certeiros.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.