John McEnroe defende Serena: "Eu disse muito pior"

Antigo tenista critica Carlos Ramos por não ter advertido a tenista das possíveis consequência das suas reações e dá razão à compatriota sobre as queixas de género. Mas é preciso lembrar o que se passou em junho de 2017...

John McEnroe já escolheu o lado da barricada e colocou-se ao lado da compatriota Serena Williams no diferendo quee esta manteve com o árbitro português Carlos Ramos.

"Eu disse muito pior do que Serena. Ela tem razão sobre a diferença de tratamento dado a homens e a mulheres. Não há dúvidas sobre isso", considerou o antigo tenista, conhecido pela sua irascibilidade, o que o levou a partir muitas raquetas e a sofrer diversas advertências de árbitros.

Curiosamente Serena Williams e John McEnroe nem sempre tiveram uma boa relação. Mais, McEnroe, que agora dá razão a Serena na alegada diferença de tratamento entre homens e mulheres, disse, há sensivelmente um ano, que Serena se competisse no circuito masculino "lutaria para ficar no top 700", o que levou o então 701 do mundo, Dmitry Tursunov a esclarecer que se sentia capaz de vencer a norte-americana.

"Atenção eu considero a Serena uma incrível atleta e sinto que no desporto sempre tudo é possível e a verdade é que de um certo ponto de vista podemos dizer que o ténis feminino tem mais qualidade, mas se ela competisse no circuito masculino penso que ela poderia lutar apenas por um lugar entre os 700 melhores do mundo. O que ela fez no ténis é absolutamente fantástico mas o circuito masculino é uma história completamente diferente", disse McEnroe à rádio NPR.

Isto passou-se em junho de 2017 quando Serena Williams estava grávida. Quando se tornou conhecedora das declarações de John McEnroe, a tenista respondeu no twitter e de uma forma bastante cáustica: "Caro John McEnroe, respeite-me e à minha privacidade enquanto estou a tentar ter um bebé. Bom dia, senhor. "

Resta dizer que John McEnroe foi, sem qualquer dúvida, um dos maiores terrores para os árbitros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.