Ex-treinador de Nélson Évora: "Pus termo às perseguições no Benfica"

João Ganço fala de perseguições depois do seu antigo atleta ter trocado a Luz por Alvalade. Garante que vai continuar a treinar: "A minha carreira de treinador atletismo não acaba com a minha saída do Benfica."

João Ganço, treinador de atletismo especializado no setor de saltos, deixa o Benfica invocando "perseguições e falta de respeito de que estava a ser alvo", após a saída do então seu atleta Nelson Évora para o Sporting.

"É verdade que pus termo às perseguições e falta de respeito de que estava a ser alvo no Benfica, após a saída do Nelson Évora (em 2016), nomeadamente com o afastamento da Susana Costa e mais recentemente do Tiago Pereira", refere o treinador, num esclarecimento enviado à Lusa, no qual acrescenta ter chegado a questionar-se sobre "quem seria a próxima vítima".

Ganço foi o treinador de Évora durante mais de duas décadas, tendo estado ligado às principais medalhas do triplista, nomeadamente o título olímpico (2008) e mundial (2007). A partir de 2016, Évora trocou o Benfica pelo Sporting e passou a ser treinado pelo cubano Ivan Pedroso.

Susana Costa, também triplista, acabou por se transferir na última época para a Academia Fernanda Ribeiro, e Tiago Pereira, que começou como saltador em altura para depois apostar também no triplo salto, foi afastado pelo Benfica há dois meses, depois de manifestações nas redes sociais, sobre futebol e atletismo, que desagradaram ao clube.

O treinador afirma que tentou debater "os problemas causados aos atletas" com os atuais responsáveis do atletismo do Benfica(...), que "surpreendentemente optaram por não atender aos superiores interesses do clube".

"Neste momento estou apenas focado no sucesso dos meus atletas, e em procurar proporcionar-lhes a tranquilidade que não têm tido ultimamente, em prejuízo do desempenho desportivo e paz de espírito que todo o ser humano merece", acrescenta.

"A minha carreira de treinador de atletismo não acaba com a minha saída do Benfica", garante o técnico, que vão continuar com Tiago Pereira - terceiro melhor triplista português, depois de Évora e Pedro Pablo Pichardo - além de Paulo Conceição e Victor Korst.

João Ganço quer conduzi-los "a um desempenho desportivo de excelência, ao mais elevado nível internacional", a exemplo do que defende ter feito com Nelson Évora, Francis Obikwelu e Susana Costa.

Ler mais

Exclusivos