Jesus: "Se falar na minha passagem pelo Sporting não escrevo um, escrevo 20 livros"

Ex- treinador dos leões chegou este domingo a Lisboa e respondeu a Bruno de Carvalho.

Jorge Jesus chegou este domingo a Lisboa para passar um período de férias. Ainda no aeroporto Humberto Delgado, o treinador foi confrontado com as recentes críticas que Bruno de Carvalho lhe fez no livro que lançou na sexta-feira. E respondeu da seguinte forma: "se falar na minha passagem pelo Sporting não escrevo um, escrevo 20."

"Como não preciso de escrever livros para sobreviver continuo a trabalhar naquilo que sei, que é ser técnico", afirmou ainda Jesus quando questionado pelos jornalistas com as acusações de chantagem feitas por Bruno de Carvalho no livro que acaba de lançar "Sem Filtro: As Histórias dos Bastidores da Minha Presidência".

"Cheguei agora, não quero entrar por aí. Aprendi muita coisa na Arábia Saudita e uma é respeitar muito o futebol, independentemente das pessoas. Não é o momento para falar disso", afirmou ainda o antigo treinador dos leões.

Jesus admitiu que se soubesse o que sabe hoje não aceitaria o convite de Bruno de Carvalho para ser treinador do Sporting. "Não, impossível", garantiu.

Sobre o atual presidente do clube de Alvalade, Frederico Varandas, disse que teve "uma relação muito boa" com ele durante os três anos em que trabalharam juntos. "E continuo a ter, apesar de não ter gostado de algumas declarações que ele fez sobre mim", disse, sem querer especificar.

Para já, o futuro não passa por Portugal

Jorge Jesus deixou o comando técnico do Al Hilal, da Arábia Saudita, mas garantiu que, neste momento, "é completamente impossível regressar ao futebol português".

O técnico português contou que ficou sensibilizado com as propostas que tem recebido na Arábia Saudita, que passam por ser responsável de uma academia ou pelo cargo de selecionador.

"É uma proposta interessante, não do ponto de vista desportivo, não é para me radicar novamente na Arábia, é para ser consultor e projetar a academia. Estive em dois grandes clubes com grandes academias e eles sabem disso. Mas ainda não assinei nada. Há uma cláusula que eles querem que eu tenha, que seria ter de voltar três vezes por ano e isso é impossível", reconheceu Jorge Jesus.

"Eles estão a fazer tudo para que eu possa ter qualquer coisa de importante", destacou.

Rui Vitória tem "um trabalho difícil" à frente do Al Nassr

Aos jornalistas, Jesus disse que não se cruzou com Rui Vitória, treinador do Al Nassr, equipa que está em segundo lugar da Liga saudita, atrás do Al Hilal. "Ele tem uma boa equipa, mas tem um trabalho difícil", analisou.

"O Al Hilal é muito mais forte", sublinhou. Aliás, assegurou que o clube que treinou na Arábia Saudita podia, "em Portugal, discutir o título com Benfica, Sporting e FC Porto".

Ler mais

Exclusivos