Jesus não foi notificado pelo MP para ser ouvido sobre o caso Alcochete

O treinador está disponível para ser ouvido, embora fonte próxima garanta que ele não tem outras informações relevantes para o processo além das que já forneceu

Jorge Jesus não recebeu até ao momento qualquer notificação por parte do Ministério Público (MP) para ser ouvido no âmbito do processo das agressões de Alcochete, garantiu ao DN fonte próxima do treinador, que se encontra atualmente a trabalhar no Al-Hilal, da Arábia Saudita.

De acordo com algumas notícias, a procuradora Cândida Vilar pretendia ouvir o técnico com caráter de urgência, algo que até ao momento não foi feito, sendo que Jesus apenas sabe dessa intenção pelas notícias que têm saído na imprensa.

Segundo a mesma fonte do DN, o treinador está disponível para prestar declarações uma vez que "é uma obrigação cívica", embora garanta que não tem mais informações relevantes além daquelas que prestou no depoimento na noite das agressões da claque do Sporting aos jogadores, no dia 15 de maio.

A confirmar-se a pretensão do Ministério Público, Jorge Jesus poderá ser ouvido com caráter de urgência através de videoconferência ou por escrito através de carta rogatória. Ao que o DN apurou, o treinador do Sporting na altura da invasão à Academia só virá a Portugal no início de 2019, sendo essa a única altura em que poderá ser ouvido presencialmente.

Refira-se que o ex-presidente Bruno de Carvalho e o líder da Juventude Leonina, Mustafá, vão ser ouvidos esta terça-feira no Tribunal do Barreiro, depois de terem sido detidos na noite de domingo.

Ler mais

Exclusivos