Campanha contra racismo. Início do Inglaterra-Suíça vai ser a preto e branco

Iniciativa da Associação de Futebol britânica tem como objetivo assinalar os 25 anos da 'Kick it Out', campanha contra o racismo no futebol

Os primeiros 25 segundos do jogo particular entre a Inglaterra e a Suíça, que se realiza esta terça-feira no King Power Stadium, em Leicester, vão ser transmitidos a preto e branco pelo canal de televisão britânico Sky Sports. A iniciativa da Associação de Futebol britânica procura assinalar os 25 anos da campanha 'Kick It Out', contra o racismo no futebol.

"Temos a esperança de que as imagens encorajem milhões de espetadores a pensarem, durante 25 segundos, sobre a importância da diversidade neste desporto. Estamos agradecidos à Sky Sports por apoiar esta ideia desde a sua conceção, e esperamos ver os Três Leões a a preto e branco pela primeira vez em quase 50 anos", disse à Sky News Paul Elliot, conselheiro do departamento da Associação de Futebol britânica dedicado à inclusão.

De acordo com a BBC, os jogadores ingleses vão mostrar o seu apoio a esta causa, ao usarem t-shirts alusivas à campanha, e vão estar em campo acompanhados de oito mascotes cujos nomes vão ser atribuídos pela organização.

"O 'Kick it Out' tem sido um catalisador para a mudança no futebol inglês dentro e fora de campo, e estamos muito satisfeitos em celebrar o seu trabalho inspirador ao promover o futebol para todos. Espero que as imagens encorajem milhões de espetadores em casa a despenderem pelo menos 25 segundos a pensarem na importância da diversidade neste nosso belo jogo", acrescentou Paul Elliot.

A campanha 'Kick it Out' foi criada em 1993 para responder aos abusos sofridos pelos jogadores em campo e pelas minorias étnicas que acompanhavam os jogos e as suas equipas.

O pontapé de saída deste jogo dá-se pelas 20 horas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.