Incidente antes do Madagáscar-Senegal resulta num morto e vários feridos

Estádio só tinha uma porta de entrada e levou a que vários adeptos se atropelassem antes do jogo da fase de qualificação da Taça das Nações Africanas

Pelo menos um morto e 37 feridos, é para já a consequência de um grave incidente ocorrido este domingo antes do jogo entre as seleções de Madagáscar e do Senegal, relativo à fase de apuramento da Taça das Nações Africanas de futebol.

Antes da partida, centenas de adeptos tentaram entrar no Estadio Municipal de Mahamasina, em Antananarivo, que tem capacidade para acolher 23.000 espectadores. De acordo com a agência de notícias AFP, o facto de só existir uma porta para entrar levou a que as pessoas se amontoassem, com muitas a caírem e a serem pisadas. Já em 2005, num jogo de râguebi, um incidente do género causou a morte a duas pessoas.

Apesar do sucedido, o jogo realizou-se e terminou com um empate a dois golos.

Ler mais

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.