Hamilton vence em Singapura e reforça liderança no Mundial

O piloto britânico da Mercedes tem agora 40 pontos de vantagem sobre Sebastian Vettel, após 15 provas.

Lewis Hamilton, campeão do mundo em 2008, 2014, 2015 e 2017, partiu da 'pole position' e cumpriu as 61 voltas ao circuito de Marina Bay em 1:51.11,611 horas, à frente de Max Verstappen (Red Bull), e do vice-líder do Mundial, o alemão Sebastian Vettel (Ferrari), que foi terceiro.

Com este triunfo, o seu 69.º em Grande Prémios, Hamilton passou a somar 281 pontos na liderança do campeonato do mundo, agora com mais 40 do que Vettel (241), quando faltam disputar seis corridas para o final.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

O populismo entre nós

O sucesso eleitoral de movimentos e líderes populistas conservadores um pouco por todo o mundo (EUA, Brasil, Filipinas, Turquia, Itália, França, Alemanha, etc.) suscita apreensão nos países que ainda não foram contagiados pelo vírus. Em Portugal vários grupúsculos e pequenos líderes tentam aproveitar o ar dos tempos, aspirando a tornar-se os Trumps, Bolsonaros ou Salvinis lusitanos. Até prova em contrário, estas imitações de baixa qualidade parecem condenadas ao fracasso. Isso não significa, porém, que o país esteja livre de populismos da mesma espécie. Os riscos, porém, vêm de outras paragens, a mais óbvia das quais já é antiga, mas perdura por boas e más razões - o populismo territorial.