Golo de Gelson Dala no último suspiro faz Rio Ave vencer o Portimonense

Os algarvios estiveram em vantagem, mas acabaram por perder em Vila do Conde depois de verem dois jogadores expulsos

O Rio Ave recebeu e venceu o Portimonense, por 2-1, numa partida emocionante e cheia de peripécias que foi resolvida pelos vilacondenses com um golo de Gelson Dala no último lance do jogo, numa altura em que os algarvios já jogavam com nove elementos devido às expulsões de Lucas Possignolo e Wilson Manafá.

A equipa de António Folha até começou melhor a partida, tendo chegado ao golo através de um cabeceamento de Dener, após um cruzamento de Bruno Tabata.

Respondeu o Rio Ave no segundo tempo, pois logo aos 48 minutos Gabrielzinho aproveitou um remate de Bruno Moreira que embateu em Rúben Fernandes para fazer o empate.

Os vilacondenses foram à procura do triunfo, mas encontraram resistência dos algarvios, que no entanto viram Lucas Possignolo ser expulso por travar Galeno à entrada da área quando o brasileiro se ia isolar. Inicialmente o árbitro Artur Soares Dias mandou marcar penálti, mas depois de consultar o VAR acabou por emendar a decisão.

Aos 87 minutos foi Wilson Manafá a receber ordem de expulsão, ao ver o segundo cartão amarelo por derrubar Galeno. O Rio Ave fez então um esforço final para chegar ao triunfo e acabou por ser premiado aos 90+6 minutos, quando Gelson Dala aproveitou uma perda de bola de Ewerton para bater o guarda-redes Ricardo Ferreira.

O Rio Ave somou assim a segunda vitória na I Liga, estando agora com sete pontos, enquanto o Portimonense, continua no penúltimo lugar com apenas um ponto.

Consulte aqui a classificação

FICHA DO JOGO

Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde (2.000 espetadores)
Árbitro: Artur Soares Dias (Porto)

Rio Ave: Léo Jardim; Junio Rocha, Buatu, Borevkovic, Matheus Reis; Leandrinho (Jambor, 46), Tarantini (Diego Lopes, 80); Gelson Dala, Gabrielzinho, Galeno; Bruno Moreira (Vinícius, 70)
Treinador: José Gomes.

Portimonense: Ricardo Ferreira; Hackman, Lucas Possingolo, Rúben Ferreira, Wilson Manafá; Pedro Sá, Ewerton; Dener, Nakajima (Matheus Jesus, 88), Bruno Tabata (Rafael Barbosa, 77); Wellington (Felipe Macedo, 68)
Treinador: António Folha.

Cartão amarelo a Dener (12), Buatu (53), Wilson Manafá (55 e 87) e Gelson Dala (90+8).
Cartão vermelho a Lucas Possingolo (58) e Wilson Manafá (87)

Marcadores: 0-1, Wellington (24); 1-1, Gabrielzinho (48); 2-1, Gelson Dala (90+6)

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.