Gary Neville: "Deixem Mourinho cumprir contrato e fazer o seu trabalho"

Antigo lateral do Manchester United defende continuidade do treinador português à frente dos red devils, na sequência da derrota caseira ante o Tottenham (0-3)

A continuidade de José Mourinho à frente do Manchester United está a ser mais questionada do que nunca, depois da derrota caseira desta segunda-feira ante o Tottenham (0-3), mas o antigo lateral do clube Gary Neville defende o treinador português.

"Entendo que são momentos diferentes e aceito as dificuldades e os desafios, mas do meu honesto ponto de vista, depois de Ed Woodard [vice-presidente dos red devils] lhe ter oferecido um novo contrato na época passada, deveria deixar que esse contrato seja cumprido e que Mourinho faça o seu trabalho", afirmou o antigo defesa, em declarações à Sky, referindo-se ao vinculo que o português e o emblema de Old Trafford prolongaram até 2020.

Para Neville, o Manchester United deveria de "saltar de treinador em treinador" e apostar firmemente no português."Vimos o despedimento de Van Gaal depois de ganhar a final da Taça de Inglaterra e o de David Moyes a apenas quatro jogos para o final da temporada. [Apostar firmemente num treinador] não é algo novo num clube que historicamente já o fez", frisou.

Refira-se que a derrota ante os spurs foi a mais pesada de sempre de Mourinho em casa enquanto treinador e que o Manchester United soma apenas três pontos ao cabo das primeiras três jornadas da liga inglesa e está a seis dos líderes Liverpool, Watford, Chelsea e Tottenham.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

O populismo entre nós

O sucesso eleitoral de movimentos e líderes populistas conservadores um pouco por todo o mundo (EUA, Brasil, Filipinas, Turquia, Itália, França, Alemanha, etc.) suscita apreensão nos países que ainda não foram contagiados pelo vírus. Em Portugal vários grupúsculos e pequenos líderes tentam aproveitar o ar dos tempos, aspirando a tornar-se os Trumps, Bolsonaros ou Salvinis lusitanos. Até prova em contrário, estas imitações de baixa qualidade parecem condenadas ao fracasso. Isso não significa, porém, que o país esteja livre de populismos da mesma espécie. Os riscos, porém, vêm de outras paragens, a mais óbvia das quais já é antiga, mas perdura por boas e más razões - o populismo territorial.