Frederico Varandas: "Quem se quiser juntar, arranja-se espaço"

O candidato à presidência do Sporting considera que a sua lista é a mais forte.

O candidato à presidência do Sporting afirmou, esta quarta-feira, que está disponível para receber membros de outras candidaturas, mas considerou a sua a "mais forte" para vencer as eleições agendadas para 08 de setembro.

Na apresentação do seu programa eleitoral, com o nome de "8 pilares, 8 medidas e 0 suspeição", o antigo médico dos "leões" revelou que Miguel Albuquerque, atual diretor do futsal do clube, será o diretor geral de todas as modalidades e avançou que o "team manager" e o diretor de "scouting" para o futebol também já estão escolhidos e serão revelados brevemente.

"Acredito muito na competência da minha equipa e tenho a certeza que esta equipa vai vencer. Conheço a estrutura do Sporting como a minha mão. Quem se quiser juntar, arranja-se espaço", afirmou Frederico Varandas em conferência de imprensa, na sua sede da candidatura, em Lisboa.

Varandas garantiu que ainda não teve qualquer contacto para a junção de candidaturas, mas não descartou essa possibilidade, embora sempre a favor da sua.

O antigo responsável pelo departamento médico do Sporting fez uma apresentação geral do seu programa e destacou o seu plano para o futebol profissional, para a formação e também para as modalidades.

Para Varandas, o presidente do Sporting tem que ter "parte interventiva em todo o processo" no futebol profissional, departamento esse que tem que ter um "'team manager' e um diretor de 'scouting' competentes e com experiência".

"Em sete anos que lá estive, vi o treinador ter que se preocupar com outras áreas e um 'scouting' desatualizado, pouco profissional e deficitário. Tive jogadores a chegarem ao Sporting com oito, nove quilos a mais. Isso não pode voltar acontecer. É preciso acertar mais e falhar menos", disse.

Frederico Varandas assumiu a formação como uma das suas "maiores preocupações" e adiantou mesmo que o Sporting tem, neste momento, uma rede de "scouting" de formação "completamente abandonada".

"É preciso investir na formação e isso não é caro. Caro é contratar jogadores como o Douglas, que custa dois milhões por ano, e faz dois jogos por ano. Não aposto tudo na formação, mas aposto muito", explicou, referindo-se ao defesa-central que foi contratado pelos "leões" há duas temporadas.

Quanto às modalidades, Varandas quer criar um departamento profissional e prometeu o regresso do basquetebol, bem como a aposta em novos desportos, como o padel.

O médico reafirmou que, caso seja eleito, o Sporting vai continuar com a maioria da SAD e avançar para o 'naming' do Estádio José Alvalade, embora seja primeiro necessário "recuperar a credibilização da marca Sporting, algo que foi perdido nos últimos meses".

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.