Frederico Varandas: "Quem se quiser juntar, arranja-se espaço"

O candidato à presidência do Sporting considera que a sua lista é a mais forte.

O candidato à presidência do Sporting afirmou, esta quarta-feira, que está disponível para receber membros de outras candidaturas, mas considerou a sua a "mais forte" para vencer as eleições agendadas para 08 de setembro.

Na apresentação do seu programa eleitoral, com o nome de "8 pilares, 8 medidas e 0 suspeição", o antigo médico dos "leões" revelou que Miguel Albuquerque, atual diretor do futsal do clube, será o diretor geral de todas as modalidades e avançou que o "team manager" e o diretor de "scouting" para o futebol também já estão escolhidos e serão revelados brevemente.

"Acredito muito na competência da minha equipa e tenho a certeza que esta equipa vai vencer. Conheço a estrutura do Sporting como a minha mão. Quem se quiser juntar, arranja-se espaço", afirmou Frederico Varandas em conferência de imprensa, na sua sede da candidatura, em Lisboa.

Varandas garantiu que ainda não teve qualquer contacto para a junção de candidaturas, mas não descartou essa possibilidade, embora sempre a favor da sua.

O antigo responsável pelo departamento médico do Sporting fez uma apresentação geral do seu programa e destacou o seu plano para o futebol profissional, para a formação e também para as modalidades.

Para Varandas, o presidente do Sporting tem que ter "parte interventiva em todo o processo" no futebol profissional, departamento esse que tem que ter um "'team manager' e um diretor de 'scouting' competentes e com experiência".

"Em sete anos que lá estive, vi o treinador ter que se preocupar com outras áreas e um 'scouting' desatualizado, pouco profissional e deficitário. Tive jogadores a chegarem ao Sporting com oito, nove quilos a mais. Isso não pode voltar acontecer. É preciso acertar mais e falhar menos", disse.

Frederico Varandas assumiu a formação como uma das suas "maiores preocupações" e adiantou mesmo que o Sporting tem, neste momento, uma rede de "scouting" de formação "completamente abandonada".

"É preciso investir na formação e isso não é caro. Caro é contratar jogadores como o Douglas, que custa dois milhões por ano, e faz dois jogos por ano. Não aposto tudo na formação, mas aposto muito", explicou, referindo-se ao defesa-central que foi contratado pelos "leões" há duas temporadas.

Quanto às modalidades, Varandas quer criar um departamento profissional e prometeu o regresso do basquetebol, bem como a aposta em novos desportos, como o padel.

O médico reafirmou que, caso seja eleito, o Sporting vai continuar com a maioria da SAD e avançar para o 'naming' do Estádio José Alvalade, embora seja primeiro necessário "recuperar a credibilização da marca Sporting, algo que foi perdido nos últimos meses".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Discretamente, sem ninguém ver

Enquanto nos Estados Unidos se discute se o candidato a juiz do Supremo Tribunal de Justiça americano tentou, ou não, há 36 anos abusar, ou mesmo violar, uma colega (quando tinham 17 e 15 anos), para além de tudo o que Kavanauhg pensa, pensou, já disse ou escreveu sobre o que quer que seja, em Portugal ninguém desconfia quem seja, o que pensa ou o que pretende fazer a senhora nomeada procuradora-geral da República, na noite de quinta-feira passada. Enquanto lá se esmiúça, por cá elogia-se (quem elogia) que o primeiro-ministro e o Presidente da República tenham muito discretamente combinado entre si e apanhado toda a gente de surpresa. Aliás, o apanhar toda a gente de surpresa deu, até, direito a que se recordasse como havia aqui genialidade tática. E os jornais que garantiram ter boas fontes a informar que ia ser outra coisa pedem desculpa mas não dizem se enganaram ou foram enganados. A diferença entre lá e cá é monumental.