As frases fortes da primeira entrevista de Frederico Varandas como presidente do Sporting

Novo presidente do Sporting concedeu este domingo entrevista à Sporting TV, horas depois de ter tomado posse

Frederico Varandas, que este fim de semana foi eleito e tomou posse como 43.º presidente da história do Sporting, concedeu ao canal televisivo do clube a primeira entrevista na nova condição. Em pouco mais de 30 minutos, o médico de 38 anos reiterou algumas das ideias que já tinha manifestado nos discursos de vitória e de tomada de posse e anunciou que vai reunir com a estrutura do futebol já esta segunda-feira.

"Vou ter uma reunião com o treinador e toda a estrutura do futebol. Vou agradecer a todos. É extremamente importante ter um grupo saudável para ganhar. A minha estrutura do futebol vai entrar imediatamente em funções", remetendo para terça-feira nova reunião no auditório Artur Agostinho, mas com "todos os funcionários".

"Vou dar o meu máximo para não desiludir os sócios. Não tenho dúvidas que vou falhar e que vou errar, mas vou fazer tudo para não desiludir os sócios do Sporting", prometeu, assegurando que não vê "a presidência como uma figura ou um palco". "É uma missão e vou cumpri-la", vincou.

"Vou ser um presidente exigente. Sou muito exigente comigo mesmo, às vezes até sou exagerado. Vou exigir o máximo a toda a gente no Sporting, dando todas as condições para um bom desempenho", garantiu, explicando a amostragem da medalha de finalista vencido da Taça de Portugal da época passada durante o discurso de vitória: "Hoje estou aqui por causa daquela medalha. Foi o clique e a gota de água. Quando formos campeões, vai para o museu juntamente com o troféu de campeão nacional."

O novo presidente dos leões considerou que a "votação de 36% em João Benedito" lhe dá "muita responsabilidade" e que não é "mais sportinguista do que qualquer outro candidato".

Já depois de ter elogiado o novo homem-forte das modalidades, o "workaholic" Miguel Albuquerque, Varandas fez um apelo aos sócios e adeptos: "Posso ser o general mais competente do mundo, mas se os meus soldados não forem solidários, perderemos as batalhas. Apelo a todos os sportinguistas para colocarem os interesses do Sporting acima dos seus próprios interesses. Encham os estádios e os pavilhões. O Sporting vai crescer."

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).