Fernando Santos quer vitória na Polónia como prenda de aniversário

Selecionador nacional completa 64 anos esta quarta-feira e espera vencer o jogo da Liga das Nações em solo polaco no dia seguinte

Fernando Santos celebra o seu 64.º aniversário esta quarta-feira, mas também terá motivos para festejar esta quinta-feira, pois completam-se quatro anos desde a estreia pela seleção nacional. Como desejo de aniversário, o selecionador português quer uma vitória esta quinta-feira (19.45) em solo polaco.

"Seguramente, se puder pedir um desejo, que amanhã [quinta-feira] Portugal possa vencer. Obviamente que esse é o meu desejo. A Polónia tem crescido, é uma equipa fortíssima. No apuramento para o Europeu e para o Mundial só perdeu dois jogos. Tem jogadores que atuam nas melhores equipas europeias. Fizeram um excelente jogo em Itália, sabemos das dificuldades que este jogo encerra. Acredito que Portugal tem condições para vencer. Vamos proporcionar um bom espetáculo", assegurou o treinador, em conferência de imprensa.

O técnico da equipa das quinas recordou ainda o jogo com a Polónia no Euro 2016, do qual Portugal saiu a sorrir após o desempate por grandes penalidades: "Lembro-me do jogo de há dois anos e acho que ganhámos bem. Portugal venceu justamente. A Polónia é uma equipa muito forte, já tive a oportunidade de a defrontar na abertura do Europeu de 2012, ao serviço da Grécia, e em 2016, por Portugal. A mudança de treinador muda sempre alguma coisa, mas não muda os jogadores nem a qualidade. Seguramente amanhã vai ser um grande jogo."

Fernando Santos considera que "uma vitória não fecha nada [passagem à final four da Liga das Nações], mas é um passo de gigante", e rejeita que possa ser atribuído a Portugal o rótulo de equipa defensiva. "Se Portugal só defendesse não tinha sido campeão da Europa. Tentamos trabalhar ofensivamente e defensivamente todos os dias, no pouco tempo que temos juntos", vincou, à espera de uma Polónia a querer vencer: "Naturalmente que isso é perfeitamente legítimo, a Polónia teria sempre como objetivo vencer Portugal. Pode acreditar que pode vencer Portugal. Uma qualificação que tem apenas quatro jogos acaba por ter mais importância atribuída a cada jogo. Portugal também vem com a ambição de vencer."

O selecionador nacional disse que não deverá efetuar "grandes alterações" em relação ao onze que bateu a Itália há um mês no Estádio da Luz (1-0) e reiterou confiança nos jogadores que tem à disposição, apesar da ausência de Cristiano Ronaldo. "O melhor do mundo é o melhor do mundo, mas não vamos continuar a insistir nesse tema", salientou, confessando que não se sente "totalmente realizado" enquanto treinador. "Tenho tido uma carreira muito interessante, mas continuo a querer mais e mais, a ser melhor treinador. Se assim não fosse já tínhamos chegado ao fim da linha", desabafou, considerando a estreia pela seleção nacional, há quatro anos, como "talvez o momento mais marcante de sempre" da sua carreira.

Ler mais

Premium

Henrique Burnay

Isabel Moreira ou Churchill

Numa das muitas histórias que lhe são atribuídas, sem serem necessariamente verdadeiras, em resposta a um jovem deputado que, apontando para a bancada dos Trabalhistas, perguntou se era ali que se sentavam os seus inimigos, Churchill teria dito que não: "Ali sentam-se os nossos adversários, os nossos inimigos sentam-se aqui (do mesmo lado)." Verdadeira ou não, a história tem uma piada e duas lições. Depois de ler o que publicou no Expresso na semana passada, é evidente que a deputada Isabel Moreira não se teria rido de uma, nem percebido as outras duas.