Fernando Alonso anuncia a sua ausência da Fórmula 1 em 2019

Espanhol duas vezes campeão do munco despede-se a 25 de novembro em Abu Dhabi, veremos se é um adeus definitivo. Para já o grande objetivo é vencer as 500 milhas de Indianápolis

Fernando Alonso, duas vezes campeão do Mundo (2005 e 2006) de Fórmula 1 anunciou esta terça-feira, através da sua conta de Twitter, que na próxima época não correrá na Fórmula 1.

Se não mudar de ideias, Fernando Alonso, 37 anos, despede-se do grande circo a 25 de novembro em Abu Dhabi.

Refira-se que isto não significa necessariamente um adeus definitivo à Fórmula 1 por parte do espanhol, pois o piloto tem como meta vencer as 500 milhas de Indianápolis.

Para ganhar rodagem para Indianápolis, é possível que Alonso dispute algumas corridas de Indy Car Series. Em simultâneo, Alonso está empenhado no Mundial de Resistência.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.