Federação croata oferece 12 camisolas aos tailandeses resgatados

Vice-campeão mundial vai enviar 12 equipamentos aos jovens resgatados do interior de uma gruta no norte da Tailândia

A Federação croata de futebol, cuja seleção foi vice-campeã no Mundial 2018, anunciou esta quinta-feira que vai enviar 12 camisolas da equipa às crianças tailandesas recentemente resgatadas do interior de uma gruta no norte da Tailândia.

Em comunicado, o organismo manifestou a sua alegria pela recuperação dos jovens futebolistas tailandeses, anunciando que enviará as camisolas como sinal de apoio aos tempos difíceis que os jovens viveram.

Os jovens ficaram encurralados durante quase três semanas numa gruta no norte da Tailândia, depois de o espaço ter ficado inundado pelas chuvas.

A operação de resgate, que envolveu centenas de pessoas, incluindo mergulhadores, foi concluída em 10 de junho, com a saída das últimas quatro crianças e do treinador. As restantes crianças já tinham sido resgatadas nos dias 8 e 9.

O grupo de 12 rapazes e o treinador foram explorar a área depois de um jogo de futebol no dia 23 de junho.

Na altura, as inundações resultantes das monções bloquearam-lhes a saída da gruta e impediram que as equipas de resgate os encontrassem durante nove dias.

Este não é primeiro sinal de apoio demonstrado pela comunidade internacional às crianças tailandesas, depois dos convites da FIFA para a final do Mundial, do presidente da Liga portuguesa, Pedro Proença, para a final four da Taça da Liga e do presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, para um estágio na academia do clube da Luz, entre outros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.