Chaves mostrou organização e expôs fragilidades do FC Porto

Encontro emocionante, principalmente depois da entrada de Brahimi aos 60'. Hernâni abriu o marcador aos 74', Eustáquio, o melhor em campo, empatou. Conceição expulso, Aboubakar viu um golo ser-lhe anulado nos descontos

Quem diria que um FC Porto-Chaves, a contar para a fase de grupos da Taça da Liga, podia ser tão emocionante? Ninguém. O FC Porto com o reforço João Pedro, Danilo, ausentes das escolhas iniciais há sete meses, e Adrián de inicio optou por deixar elementos importantes de fora como Brahimi ou Aboubakar.

O Chaves estava sedento de reabilitar a sua imagem, depois de ter perdido na 1.ª jornada da I Liga no Dragão por 5-0. Mesmo assim Daniel Ramos não podia contar com os titulares Paulinho, Djavan, Maras, Hugo Basto e Bressan. Muitas ausências.


E a verdade é que os flavienses mostraram que aproveitaram bem a paragem pois foram sempre uma equipa muito sólida defensivamente e com muita orgamização, colocando Jefferson como terceiro central quando não tinha a bola. Ainda assim, na primeira parte um calcanhar de Adrián quase terminava com a bola no fundo da baliza. O Chaves, aos poucos, foi equilibrando as coisas e mostrando que não descurava a oportunidade de olhar para a baliza de Vaná.

O jogo estava neste aborrecimento quando Sérgio Conceição, expulso ao intervalo, lançou Brahimi aos 60 minuto e aí, definitivamente, o FC Porto encostou às cordas o conjunto transmontano. E o golo acabaria por surgir numa jogada e muita insistência que contou com tentativas de golo de Marega, isolado, Otávio, Herrera e Brahimi. Mas o remate vitorioso pertenceu a Hernâni, aos 74', que tinha entrado segundos antes para o lugar de Adrián. Pensava-se que o resultado estava feito, mas não...

O Chaves, que com o resultado em 0-0 teve uma grande oportunidade de dois para um que Perdigão não aproveitou, nem reagiu com firmeza mas num lance pela esquerda o georgiano Avto cruzou largo para Eustáquio, ao segundo poste, marcar de cabeça, sem hipótese para Vaná. Um toque de justiça para o jovem médio, o melhor em campo, um futebolista de 21 anos que, quase de certeza, não vai ficar muito tempo em Chaves.

Foi justo ter sido Eustáquio a marcar o golo do Chaves. O jovem de 21 anos, dificilmente, ficará muito tempo em Trás-os-Montes


Conceição ainda lançou Aboubakar, este marcou, mas o lance foi bem anulado pelo assistente, já que o camaronês emendou o lance com a mão. E no último lance do jogo, Vaná segurou o empate após um remate com selo de golo de Jefferson, outro dos melhores sobre o relvado.

O FC Porto queixa-se do árbitro mas tem que procurar internamente a razão para este início de época em que a qualidade do seu futebol não sendo propriamente alarmante está a um nível abaixo do que habituou os adeptos do futebol. Falta dinâmica, paciência, mais qualidade na posse de bola e ainda muita concentração no momento defensivo, com a sua linha a estar pouco coordenada. Falta mais do que seria de esperar neste momento da temporada. E a Liga dos Campeões está à porta.

FICHA DO JOGO

Estádio do Dragão (37 708 espectadores)
Árbitro: Vítor Ferreira (Braga)

FC Porto: Vaná; João Pedro, Felipe, Diogo Leite, Alex Telles; Danilo Pereira; Otávio (Aboubakar, 85), Herrera, Jesús Corona (Brahimi, 60); Marega, Adrián López (Hernâni, 72)
Treinador: Sérgio Conceição

Dersp. Chaves: António Filipe; Filipe Brigues (André Luís, 80), Nuno André Coelho, Marcão, Luís Martins; Stephen Eustáquio, Jefferson Santos, Bruno Gallo; Niltinho (Avto Erbalidze, 72), William Oliveira (Filipe Melo, 86), Perdigão
Treinador: Daniel Ramos

Cartão amarelo a Marega (43), Luís Martins (43), Stephen Eustáquio (45+1), Diogo Leite (59), William Oliveira (76) e Otávio (76)

Marcadores: 1-0, Hernâni (74); 1-1, Stephen Eustáquio (83)

Ler mais

Exclusivos