Ex-diretora da Liga despedida e suspeita de divulgar contratos

Organismo presidido por Pedro Proença já apresentou queixa na PJ, noticia o jornal A Bola. Irmã do ex-futebolista Fernando Couto rebate todas as acusações

Andreia Couto, ex-diretora executiva da Liga, foi despedida com justa causa pelo organismo agora liderado por Pedro Proença, e está acusada de ter desrespeitado o presidente da Liga numa sessão de formação, ter falsificado as declarações de amamentação do seu filho mais novo, ter copiado determinados documentos para uma pen e ter tido acesso a arquivos digitais da Liga para os quais não estava devidamente autorizada, escreve a edição desta quinta-feira do jornal A Bola.

Segundo o diário desportivo, a irmã do antigo internacional Fernando Couto, que chegou até a ser presidente interina da Liga e que estava no organismo desde 2002, perdeu protagonismo com a entrada de Pedro Proença para liderar a Liga, em julho de 2015.

Diz ainda o jornal A bola que contratos do organismo com várias entidades foram tornados públicos e a direção da Liga suspeita que a fonte da fuga tenha sido Andreia Couto. A Liga, entretanto, já apresentou queixa na Polícia Judiciária e aguarda a conclusão das investigações.

O mesmo jornal teve acesso à defesa de Andreia Couto, que rebate todas as acusações que lhe são feitas, garantindo que nunca acedeu a qualquer informação que não pudesse aceder e que sempre esteve disponível para terminar o seu vínculo com a Liga mediante uma compensação monetária que respeitasse os seus direitos. Andreia Couto refere ainda que toda esta questão será resolvida em tribunal.

Exclusivos