Dinamarca resolve diferendo interno e vence País de Gales

O médio Christian Eriksen marcou este domingo os dois golos da vitória dos nórdicos frente aos galeses, por 2-0, em jogo da Liga das Nações, depois de resolvido o diferendo entre futebolistas e a federação dinamarquesa.

Na quarta-feira, a Dinamarca foi derrotada na Eslováquia (3-0), num jogo particular em que utilizou os jogadores possíveis face à ausência dos habituais convocados, em linha de rutura com a federação de futebol quanto a aspetos financeiros.

O acordo temporário alcançado na sexta-feira permitiu o regresso dos principais jogadores, entre os quais o médio do Tottenham, que deu vantagem à seleção dinamarquesa, aos 32 minutos, e confirmou o triunfo na segunda parte, aos 63, na conversão de uma grande penalidade.

Com este triunfo, a contar para o Grupo 4 da Liga B, a Dinamarca soma os mesmos três pontos dos galeses, com dois jogos disputados, enquanto a República da Irlanda segue no terceiro e último posto, na sequência do desaire frente ao País de Gales, por 4-1, na quinta-feira.

Também para a segunda divisão, mas para o Grupo 1, a Ucrânia conquistou o segundo triunfo, ao vencer por 1-0 a Eslováquia, depois se ter vencido na República Checa por 2-1, na quinta-feira.

Em Lviv, o avançado do West Ham Yarmolenko sentenciou a partida, aos 80 minutos, deixando os ucranianos com seis pontos, enquanto checos e eslovacos ainda não pontuaram.

Já para a Liga C, a Bulgária venceu em casa a Noruega, por 1-0, com um golo de Vasilev, aos 59, e isolou-se na liderança do Grupo 3, com seis pontos, mais três do que os adversários de hoje, que ocupam o segundo lugar.

Para a Liga D, a Geórgia também venceu pela segunda vez na prova, ao vencer na receção à Letónia, por 1-0, destacando-se no Grupo 1, tal como a Macedónia, no Grupo 4, na sequência do triunfo caseiro diante da Arménia, por 2-0.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.