Equipa do Lokomotiv viajou de metro para fugir ao trânsito de Moscovo

Os jogadores, entre os quais Manuel Fernandes e Éder, tiveram de encontrar um meio de transporte alternativo para chegar a tempo do jogo com o FC Porto

O autocarro que transportava os jogadores do Lokomotiv Moscovo para o seu estádio onde defrontam o FC Porto, a contar para a 3.ª jornada da Liga dos Campeões ficou retido no trânsito caótico da capital russa, pelo que os responsáveis pelo clube tiveram de encontrar uma forma alternativa para não chegarem atrasados à partida, com início marcado para as 22:00 horas locais, menos duas em Lisboa.

Os futebolistas, entre os quais os portugueses Éder e Manuel Fernandes, tiveram de utilizar o metropolitano, uma vez que o autocarro do clube ficou autenticamente imobilizado na Avenida Kutuzovsky, sendo que na altura se previa que demorassem cerca de uma hora a chegar ao estádio. A decisão acabou por ser acertada, uma vez que dessa forma não houve atrasos e a equipa chegou a cerca de uma hora para o apito inicial do árbitro.

A presença dos atletas, devidamente acompanhados pelas forças de segurança, no metro não passou despercebida aos moscovitas que aproveitaram para fazer alguns vídeos durante o trajeto.

Este não é um caso inédito na Liga dos Campeões, pois esta quarta-feira José Mourinho optou por ir a pé do hotel para Old Trafford, para orientar a sua equipa no jogo com a Juventus, de Cristiano Ronaldo, como forma de protesto por o Manchester United ter sido multado em 15 mil euros devido ao atraso a chegar ao seu estádio, antes do jogo da 2.ª jornada com o Valência, precisamente por causa do tráfego.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.

Premium

Viriato Soromenho Marques

Erros de um sonhador

Não é um espetáculo bonito ver Vítor Constâncio contagiado pela amnésia que tem vitimado quase todos os responsáveis da banca portuguesa, chamados a prestar declarações no Parlamento. Contudo, parece-me injusto remeter aquele que foi governador do Banco de Portugal (BdP) nos anos críticos de 2000-2010 para o estatuto de cúmplice de Berardo e instrumento da maior teia de corrupção da história portuguesa, que a justiça tenta, arduamente, deslindar.